Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Maio 2018 Google+

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Qual o tipo adequado de papel para cartão de visita?


O cartão de visitas é um material essencial para qualquer profissional e negócio, pois muitas vezes é ele o primeiro contato do cliente com a marca – e é bom causar uma boa impressão, não é? Por isso, ter capricho e transmitir credibilidade e confiança através do cartão é uma estratégia infalível. E são diversos os fatores que influenciam para que esse objetivo seja alcançado, não apenas a arte e design no cartão.

Um dos mais importantes, de longe, é a qualidade do acabamento. Por isso, separamos algumas opções para que você entenda melhor sobre o assunto e saiba qual é o melhor tipo de papel para cartão de visita. São eles:
  • Supremo 300G
  • Couchê 300G
  • Couchê 250G
  • Reciclato 240G
Mas, enfim, qual é o melhor? Na verdade, o melhor tipo de papel para cartão de visita depende do caso, tendo em vista que cada um deles possui suas próprias especificidades. Um bom primeiro passo para escolher o mais indicado para você é saber mais sobre a qualidade e consistência dos materiais, a gramatura  – quanto menor for, mais mole será o papel.

O próximo passo é escolher o tipo do papel, por isso vamos falar sobre as vantagens de cada um dos que citamos lá em cima. Confira:

Papel Couchê

O papel couchê é um dos mais utilizados. Isso porque ele apresenta uma maior durabilidade, tanto no material em si quanto nas cores. Inclusive, as cores no papel couchê são mais vivas – ótimo para os casos em que o cartão possui um layout mais dinâmico e colorido. Além de ter um ótimo acabamento, ele é o que possui maior variação de gramatura, então consegue se adaptar para diferentes necessidades.

Papel Reciclato

Como o nome já dá indícios, o papel reciclato é uma opção mais ecológica, porque é feito a partir de papel reciclado, e é considerado pelas empresas que se preocupam ou se envolvem com a preservação da natureza o melhor tipo de papel para cartão de visita, tornando-se um verdadeiro diferencial para a marca.

Papel Supremo

Esse tipo de papel possui características bem distintas dos outros, que podem ser muito bem aproveitadas para deixar o cartão mais atraente. O papel supremo tem seus dois lados praticamente iguais o que permite impressão de ambos os lados: frente e verso. Além disso, ele apresenta ainda mais duas excelentes características: ele é muito mais firme e resistente que o papel couchê, pois mesmo em gramaturas iguais, o papel supremo apresenta maior “firmeza”.

Você deve ter entendido mais sobre o que falamos lá em cima sobre o melhor tipo de papel para cartão de visita, que vai variar e depender das suas necessidades – o importante é aliar a qualidade do papel com a criação de um material bem feito que agrade seus clientes e consiga transmitir a personalidade do seu negócio. E agora que você já entendeu tudo sobre as possibilidades de cada opção, faça o pedido do seu cartão de visita com a gente. ;)



quarta-feira, 23 de maio de 2018

Confira os cinco melhores mockups gratuitos para cartão de visita


Há quem acredite que o cartão de visita vai se tornar obsoleto em breve. O motivo são os aplicativos gerenciadores de contato, as redes sociais e a busca por economia de materiais.

Enquanto o (pouco provável) fim do cartão de visita não chega, ele continua sendo uma importante ferramenta para networking. Afinal de contas, este pequeno pedaço de papel ajuda a gravar sua marca na memória dos seus clientes, principalmente se o design for memorável e criativo.

Para ajudar você a testar o layout de seu cartão de visita, apresentamos os 5 melhores mockups gratuitos:


Uma maneira original de apresentar seu cartão de visita ou incluir o seu trabalho em um portfólio online. A imagem foi criada por Atoowest.

Arquivo: PSD / Resolução: 1920 x 1080 / 7.06 Mb


Se você prefere apresentações mais sóbrias, esta é uma ótima opção de mockup. Foi criado por Graphberry.

Arquivo: PSD / Resolução: 2800 x 2100 / 3.43 Mb


Um mockup original e dinâmico que ajuda o cliente a ter uma ideia da dimensão do cartão de visita. Foi criado por Graphicsfuel.

Arquivo: PSD / Resolução: 3800 x 2500 / 8.34 Mb


Neste mockup você poderá atrair a atenção do observador para uma apresentação inusitada do se cartão. Foi criado por Graphberry.

Arquivo: PSD / Resolução: 2800 x 2100 / 2.43 Mb


Neste mockup o seu cartão fará parte de uma composição que sugere movimento. Foi criado por Pixeden.

Arquivo: PSD / Resolução: 3200 x 2340 / 36.1 Mb


terça-feira, 22 de maio de 2018

O que faz com que algumas pessoas procurem trabalhar em negócios estabelecidos ou abrir novos empreendimentos?


O que faz com que algumas pessoas procurem trabalhar em negócios estabelecidos ou abrir novos empreendimentos? Estudo investiga a relação da consciência sobre as habilidades com a escolha de empreender.

Por que algumas pessoas escolhem criar um negócio e não trabalhar em um que já existente? Pesquisadores descobriram que, na hora de decidir a carreira, os que optam por empreender geralmente consideram que as grandes empresas não valorizariam algumas de suas habilidades.

“Os empreendedores se consideram melhores do que [o que é retratado] em seus currículos e percebem que podem ganhar mais dinheiro indo sozinhos”, concluí o estudo “Asymmetric Information and Entrepreneurship”, que compreendeu 16.600 empreendedores dos mais diversos setores, com diploma e sem, de 30 anos ou mais.

Outros fatores podem influenciar categoricamente a decisão de abrir um negócio, como a possibilidade de maior flexibilidade, compensação econômica e a vontade de pôr em prática uma ideia. No entanto, a proposta do estudo era investigar exatamente o impacto que a consciência sobre as próprias competências têm nessa resolução.

Habilidades cognitivas

Os resultados mostraram que os empreendedores têm pontuação maior em testes de habilidades cognitivas – mecanismos internos relacionados à processos de aprendizagem e de memorização – do que suas experiências educativas levam a crer.

E a habilidade cognitiva deles é maior do que daqueles com as mesmas referências educacionais e de trabalho que optam por atuar em uma organização. Esse conjunto de capacidades contribui para a vida profissional, mas não “cabe” nos modelos de currículo que o mercado de trabalho considera atualmente.

Dificuldades em traduzir habilidades para o currículo

Quando você procura um emprego, você “sinaliza” sua capacidade para os empregadores através de um currículo com uma lista de suas qualificações educacionais e histórico de trabalho.

As pessoas escolhem ser empreendedores quando sentem que são mais capazes do que os empregadores podem interpretar de acordo com seu currículo ou entrevista.

Segundo a pesquisa, isso explica porque grupos como os imigrantes tendem a gravitar para o empreendedorismo. Escolaridade desconhecida, sem licença para praticar a atividade, histórico de emprego não verificável, etc., são “sinais” com pouca credibilidade frente às companhias tradicionais.

E também explica porque é comum amigos e família financiarem negócios no início: eles conhecem e confiam na competência do empreendedor porque não dependem só do currículo como fonte de informações – como seria para um possível contratante.

Informações assimétricas

O nome do estudo reflete o teor das descobertas: Asymmetric Information (em português,“informação assimétrica”), basicamente, significa quando uma parte tem mais informações do que a outra.

Nesse caso, os empreendedores sabem algo que os potenciais contratantes não. Seu currículo (e demais fases dos processos seletivos tradicionais) não demonstram qualidades como resiliência, curiosidade, agilidade, desenvoltura, reconhecimento de padrões e tenacidade, por exemplo.

Isso afeta a todos que buscam lugar no mercado de trabalho, a diferença é que os empreendedores – inconscientemente ou não – buscam alternativas em que essas capacidades sejam reconhecidas, segundo a pesquisa.


segunda-feira, 21 de maio de 2018

15 dos livros mais importantes da literatura brasileira

Resultado de imagem para literatura brasileira

Hoje iremos conferir uma lista dos romances essenciais da literatura brasileira. Aqueles que ajudaram a formar a nossa tradição literária, são estudados e conhecidos em todo mundo e estão praticamente em todas as provas de conhecimento sobre literatura.

Mas não só isso: indicamos alguns livros mais contemporâneos que também são muito importantes para a literatura nacional e outros que não são romances, mas também marcaram história.

Dom Casmurro (1889), de Machado de Assis

Difícil seria começar essa lista com um romance diferente: Dom Casmurro é considerado por especialistas o maior romance da literatura nacional. A história de amor e tragédia do triângulo Bentinho, Capitu e Escobar é envolvente do começo ao fim, cheia de detalhes e reflexões e expõe o lado mais genial do autor. 

Por que você deveria ler?

Além de ser uma excelente pedida para quem gosta de ler sobre as desventuras do amor (e outras coisas mais), é a obra machadiana mais característica. E, afinal, todo mundo quer ter a sua própria para resposta para “Capitu traiu ou não traiu Bentinho?”

Dizem por ai, mas não tenho certeza, que meu sorriso fica mais feliz quando te vejo, dizem também que meus olhos brilham, dizem também que é amor, mas isso sim é certeza.
Machado de Assis em Dom Casmurro

Não dá para não citar: Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)

Também um clássico de Machado de Assis, é talvez a história mais incrível que você lerá da perspectiva de um defunto. É engraçado, inteligente, irônico e inovador! Não se assuste com o fato de ter sido lançada há mais de 100 anos. Memórias Póstumas é desses livros atemporais que encantam qualquer um.
Macunaíma (1928), de Mário de Andrade

O conhecido “herói sem nenhum caráter” já virou filme, inspirou novelas, peças de teatro e outras inúmeras expressões artísticas. O protagonista é um homem nacional com uma identidade muito particular, que mistura comédia, malandragem e preguiça. As aventuras do herói tornaram-se muito importantes por retratar as várias facetas do caráter brasileiro.

Por que você deveria ler?

Se aventura e humor fazem o seu tipo, este é o livro certo. A linguagem falada é muito interessante e o livro oferece um rico retrato da cultura folclórica brasileira.

Vidas Secas (1938), de Graciliano Ramos

São quadros da realidade de pessoas que têm que migrar de canto em canto fugindo da seca do sertão brasileiro. Os nordestinos, protagonistas dessa história, são castigados na busca por uma vida melhor e o livro traça, em forma de capítulos não lineares, uma obra-prima da literatura regionalista nacional.

Por que você deveria ler?

Você com certeza vai se emocionar com a história dessa família nordestina, mas não só isso: o livro é tão inteligente que monta um quebra cabeça com seus capítulos e, se quiser, você pode ler um por vez, com a maior calma do mundo, ou seja: não há desculpa para começar já.

Cinco sombras caminhavam naquele leito seco. Percorriam um calvário como Jesus, açoitados pela fome, pela miséria. Coisa séria.

Graciliano Ramos em Vidas Secas

Triste Fim de Policarpo Quaresma (1915), de Lima Barreto

Muitos críticos encaram a história do protagonista Quaresma como um reflexo do próprio Lima Barreto. Ele foi filho de pai português com uma mãe escravizada e sofreu por toda vida com uma sociedade que não o aceitava. Policarpo, major aposentado, era tão nacionalista que acabou por ser tomado como louco: viveu rejeitado e vítima de seus próprios ideais.

Por que você deveria ler?

Um livro que retrata bem a política nacional pós-escravidão, no final do século XIX e começo do XX. Se você gosta de política e história, vai se deliciar com este romance que debate questões políticas e de identidade nacional.

Grande Sertão: Veredas (1956), de Guimarães Rosa

Nesta epopeia da literatura brasileira, o sertão é o mundo. É narrada por Riobaldo, um ex-jagunço que filosofa sobre a vida, sobre o sertão, sobre as guerras que viveu e um amor perdido: Diadorim, mulher que se travestia de homem para conseguir viver entre os jagunços.

Por que você deveria ler?

O livro é uma verdadeira enciclopédia do sertão, a linguagem é encantadora e as aventuras de Riobaldo formam um verdadeiro labirinto literário que você não vai querer sair. Se você gosta de histórias longas, com muitos personagens e reviravoltas, vai amar Grande Sertão Veredas.

A vida da gente vai em erros, como um relato sem pés nem cabeça, por falta de sisudez e alegria. Vida devia de ser como sala do teatro, cada um inteiro fazendo com forte gosto seu papel, desempenho.

Guimarães Rosas em Grande Sertão Veredas

A Pedra do Reino (1971), Ariano Suassuna

O nome inteiro da obra é, na verdade, Romance d'A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta. O título denuncia a monumentalidade da escrita de Suassuna, que na época de seu lançamento foi considerada um marco na literatura nordestina. O narrador está preso e tenta argumentar a sua defesa contando a história de sua família, supostamente descendente de reis.

Por que você deveria ler?

O livro é pura cultura popular brasileira. Ao melhor estilo O Auto da Compadecida. Já foi adaptado para o cinema, teatro e televisão e é uma mistura de diversão e cultura, gostoso de ler. Além disso, também tem uma boa dose de magia: se você gosta de histórias míticas e fantásticas, não pode perder!

O Cortiço (1890), de Aluísio de Azevedo

A realidade miserável e tumultuada das famílias cariocas no século XIX é o pano de fundo para este romance clássico. O Cortiço é o precursor da vida nas favelas do Rio de Janeiro e fala sobre exploração social, racismo e outros temas críticos.

Por que você deveria ler?

É peça chave para entender o Brasil do século XIX e o movimento naturalista, que ressalta os instintos naturais dos personagens. Se você tem interesse em crítica social, este romance irá te dar o cenário perfeito para reflexões.

Eram cinco horas da manhã e o cortiço acordava, abrindo, não os olhos, mas a sua infinidade de portas e janelas alinhadas. Um acordar alegre e farto de quem dormiu de uma assentada sete horas de chumbo.

Aluísio de Azevedo em O Cortiço

O Quinze (1930), de Rachel de Queiroz

A autora tinha apenas 19 anos quando escreveu esse romance que se tornou um clássico. A seca de 1915 no Ceará é o cenário para contar as histórias de duas famílias que vivem uma grande desigualdade social no nordeste. A saga da família de Chico Bento e a história de amor entre Vicente e Conceição cativam o leitor do início ao fim da leitura.

Por que você deveria ler?

A linguagem é simples, o regionalismo está presente de forma muito bonita e o livro é também sobre a emancipação das mulheres. Rachel de Queiroz foi a primeira mulher a receber o Prêmio Camões, por esta obra. É motivo o suficiente ou não é?

O Guarani (1857), de José de Alencar

É uma história que conta a fundação do Brasil como enxergava José de Alencar: a mistura do índio com o branco, da cidade e o campo. Peri é o índio e herói nacional cheio de virtudes que se apaixona por Ceci, a portuguesa branca, pura e perfeita. Os personagens que cercam a história também têm papéis alegóricos que representam o Brasil pós-colonial.

Por que você deveria ler?

Importante para entender a realidade brasileira do século XVII e também é uma história envolvente, que foi construída com ajuda de leitores: lançada originalmente no formato de folhetim, José de Alencar foi moldando o romance conforme as críticas das pessoas que iam lendo a história de Peri e Ceci no jornal. Isso concede à narrativa uma autenticidade clara.

Os lábios vermelhos e úmidos pareciam uma flor de gardênia dos nossos campos, orvalhada pelo sereno da noite, o hálito doce e ligeiro exalava-se formando um sorriso. Sua tez alva e pura como um froco de algodão, tingia-se nas faces de um longe cor-de-rosa, que iam, desmaiando, morrer no colo de linhas suaves e delicadas.
José de Alencar em O Guarani

A Rosa do Povo (1945), de Carlos Drummond de Andrade

São 55 poemas que expressam o melhor do mais renomado poeta brasileiro. Mesmo sendo um livro de poesia, A Rosa do Povo sempre figura na lista dos livros importantes da literatura nacional porque trata de temas como o pós-Segunda Guerra, a vida na cidade, o amor e a morte. Rio de Janeiro é o pano de fundo para esses versos que são uma obra-prima do autor.

Por que você deveria ler?

Qualquer pessoa que gosta de poesia deveria ler esta obra, não só por ser uma das mais importantes, mas também porque é bela, profunda, e muito diversa. É um desses livros que vale a pena ter na cabeceira.

A Paixão Segundo G.H. (1964), de Clarice Lispector

Pobre menina rica, já ouviu essa expressão? É mais ou menos o que define a protagonista desse romance, G.H., uma mulher bem sucedida, mas que conhece muito pouco de si mesma. No decorrer das páginas, ela mergulha em seus próprios pensamentos para tentar se encontrar e refletir sobre sua relação íntima consigo e com a vida.

Por que você deveria ler?

A narrativa psicológica que se tornou uma marca de Clarice Lispector é muito bem desenvolvida neste livro, que pode gerar reflexões profundas no leitor. Se o que você está procurando é uma leitura que vai te causar questionamentos, mudanças e burburinhos no interior, este é o livro certo.

Todo momento de 'falta de sentido' é exatamente a assustadora certeza de que ali há o sentido, e que não somente eu não alcanço, como não quero, porque não tenho garantias.
Clarice Lispector em A Paixão Segundo G.H.

Não dá para não citar: A Hora da Estrela (1977)

O último livro publicado de Clarice e um dos mais conhecidos conta a história de Macabéa, uma garota nordestina que tenta sobreviver na cidade. É também um livro que filosofa sobre a vida, a arte e o próprio ato de escrever. Indispensável para quem gosta de praticar escrita.

As Meninas (1973), de Lygia Fagundes Telles

A história de Ana Clara, Lia e Lorena, meninas que estão saindo da adolescência e entrando nos conflitos amorosos, políticos e sociais de uma sociedade que vive em plena ditadura militar. Por se passar em um pensionato de freiras, a história ganha ainda mais emoção, pois gera um conflito social que mistura solidão, aventura e defesa de liberdade.

Por que você deveria ler?

Fundamental para ter uma ideia de como era a sociedade brasileira na época da ditadura. Você vai se apaixonar pela individualidade das meninas e pela trajetória cheia de reviravoltas que elas traçam. A miséria política e cultural da época é passada através de uma linguagem simples e muito fácil de entender. É para ler num piscar de olhos!

Quarto do Despejo: Diário de uma favelada (1960), de Carolina Maria de Jesus

Aborda a realidade nua e crua de uma mãe solteira, negra e favelada que luta para sobreviver em uma sociedade completamente hostil. O fato de ser autobiográfico torna a história tão forte que é quase como se estivéssemos ali, vivendo tudo aquilo que Carolina conta sobre o seu cotidiano.

Por que você deveria ler?

O livro tornou-se uma referência mundial logo após o seu lançamento e permitiu à Carolina, que vivia como catadora, ascender como escritora. Sua escrita não tem frescura, não responde a regras de literatura e padrões: é um simples relato que de simples não tem nada, e mostra o poder da narrativa de um povo que vive até hoje marginalizado.

Quando um político diz nos seus discursos que está ao lado do povo, que visa incluir-se na política para melhorar as nossas condições de vida pedindo o nosso voto prometendo congelar os preços, já está ciente que abordando este grave problema ele vence nas urnas. Depois divorcia-se do povo. Olho o povo com os olhos semicerrados. Com um orgulho que fere a nossa sensibilidade.

Carolina Maria de Jesus em Quarto de Despejo

Morte e Vida Severina (1967), de João Cabral de Melo Neto

Mais uma obra que trata do tema da seca, dos retirantes e da miséria. Mas desta vez, em forma de poema! Dividido em 18 partes, a obra conta a trajetória de Severino, que deixa o sertão em busca de melhores condições de vida no litoral, e os personagens, também sofridos e “severinos” que ele encontra no caminho.

Por que você deveria ler?

Se você nunca teve contato com a literatura de cordel, com poemas grandes e narrativas poéticas dramáticas, sugerimos começar por este. É um texto que transborda emoção e que consagrou o autor nacional e internacionalmente.


domingo, 20 de maio de 2018

MECFlix, serviço de streaming para quem vai prestar o ENEM 2018

Resultado de imagem para MECFlix
Conheça o MECFlix, serviço de streaming para quem vai prestar o ENEM 2018

MECFlix é uma plataforma de videoaulas gratuitas, sob demanda, desenvolvida pelo MEC para auxiliar o seu aprendizado e otimizar seu estudo. Na plataforma, o usuário encontra conteúdos como o boletim de notícias diário com informações sobre o Enem, vídeo resoluções com questões dos anos anteriores comentadas por professores, videoaulas e uma plataforma de estudo personalizada com planos de estudos, exercícios e simulados online. Vale lembrar que é tudo gratuito.

Essa iniciativa faz parte do projeto “Hora do Enem”, criado para que você encontre uma forma de estudar que se encaixe em seu perfil. Assim, você poderá acompanhar o programa de TV, fazer simulados online, criar um plano de estudos adequado as suas necessidades, assistir vídeos ou ter tudo isso praticamente ao mesmo tempo!


O que é o MECFlix?

Uma plataforma online de vídeo-aulas preparatórias para o ENEM oferecida pelo Ministério da Educação e seus parceiros.

Quem pode usar o MECFlix?

Qualquer usuário poderá visualizar todos os vídeos que a plataforma oferece. Para interagir com as ferramentas que a plataforma oferece como anotações em vídeos, criação de playlists compartilháveis e comentários, o usuário deverá realizar o cadastro/login.

Quantos vídeos o MECFlix terá?

O número previsto para o lançamento é de aproximadamente 1900 vídeos. Porém esse número será alimentado constantemente através da constante avaliação de vídeos de diferentes parceiros do MEC.

Quais os parceiros que vão fornecer vídeos para o MECFlix?

As parcerias já definidas são: Geekie Game, Descomplica, FGV, Kroton e QG do Enem.

Como posso ser um parceiro do MECFlix?

As instituições interessadas na parceria de incorporação de seus vídeos na plataforma MECFlix deverão entrar em contato através do e-mail cgmid@mec.gov.br, com o assunto “Parceria MECFlix”, informando o nome da Instituição e a quantidade de vídeos de cada componente curricular (Matemática, Português, Biologia, Física, Química, Filosofia, Geografia, História e/ou Sociologia). Constatado o interesse do MEC para a parceria, os novos parceiros receberão por e-mail uma orientação técnica de como entregar o banco de dados de suas videoaulas à equipe de TI do MECFlix e um termo de cessão dos direitos para exibição que deverá ser assinado e enviado juntamente com a entrega do banco de dados no formato exigido. Atenção, os parceiros terão seus vídeos importados para o banco de dados do MECFlix somente se seguirem as orientações técnicas da equipe de TI do MEC e, além disso, as videoaulas estão sujeitas a avaliação antes de entrarem na plataforma. Não há uma previsão de prazo para este tramite ocorrer, pois ele dependerá do cronograma da equipe de TI do MEC.

Quem avalia os vídeos da plataforma MECFlix?

O Ministério da Educação, através de parcerias com universidades federais realizam as avaliações através de uma metodologia própria de avaliação de recursos educacionais digitais.


sábado, 19 de maio de 2018

OnePlus 6 edição limitada de “Vingadores: Guerra Infinita”

Imagem Divulgação: OnePlus 6 tem edição limitada de “Vingadores: Guerra Infinita” confirmada

Após ter algumas imagens publicadas no Twitter na noite de anteontem (16), a fabricante responsável pelo OnePlus 6 confirmou que o smartphone irá receber também uma edição limitada para celebrar o filme “Vingadores: Guerra Infinita”. Chamado de OnePlus 6 Marvel Avengers Limited Edition, ele tem as mesmas especificações do modelo principal, com as diferenças se resumindo ao visual.

Além da traseira com uma textura de Kevlar, o aparelho tem vários detalhes na cor dourada, como a marca dos Vingadores, da OnePlus e o botão de silenciar notificações. Ele também vem com uma capinha protetora com o rosto do Homem de Ferro e uma medalha dourada com o símbolo do Capitão América na caixa.

Por enquanto, o lançamento dessa versão está confirmado apenas para a China, onde o filme estreou na semana passada. Por lá, ele vai custar 4.199 yuan (R$ 2.424) com 8 GB de RAM e 256 GB de armazenamento. É provável que a edição especial também chegue à Índia, de onde partiram os primeiros vazamentos. A OnePlus já tem um histórico de lançar versões comemorativas de celulares, como ela fez com o OnePlus 5T, que ganhou uma Star Wars Limited Edition.

OnePlus 5T Star Wars Edition


sexta-feira, 18 de maio de 2018

Confira 10 passos para fazer um cartão de visitas impossível de ser ignorado

Resultado de imagem para cartao visita incrível

O cartão de visita é fundamental para a formação de vínculos entre o empresário e o seu público. Quando um designer é contratado para a criação de uma marca, ele costuma ser desenvolvido após o logotipo.

A maioria das agências e freelancers oferecem o modelo de cartão de visita juntamente com outros elementos como o papel timbrado e o envelope. A chamada “papelaria básica” deve estar incluída em um projeto consistente de identidade visual e contribui para a comunicação eficiente de uma empresa.

Para que o seu cartão de visita seja lembrado é importante que contenha informações concisas e cruciais. O layout também deve ser atraente e estar em sintonia com o logo da empresa. A maioria das gráficas oferece a possiblidade de utilizar papeis especiais como o couché com brilho ou PVC. Com um valor adicional também é possível aplicar verniz localizado, relevo e cortes especiais. 

Se você deseja um layout impossível de ser ignorado, a agência DesignMantic criou um infográfico muito útil chamado “The Anatomy Of A Business Card” (em português “A Anatomia de um Cartão de Visita). Nele são apresentados os dez elementos cruciais para um cartão infalível. Confira abaixo a versão traduzida para download:

Passo 1 – Nome

Funciona melhor quando colocado no canto superior esquerdo em fontes grandes e óbvias. Não esqueça de respeitar as margens e o alinhamento da peça.

Passo 2 – Cargo

Mencione seu cargo no cartão de visita pois facilita que você seja a “pessoa certa na hora certa”. Ele deve aparecer em tamanho menor e logo abaixo do seu nome.

Passo 3 – Logo

O cartão reflete a identidade da marca. Seu logo deve estar destacado na composição.

Passo 4 – Marca

Forneça uma maneira das pessoas lembrarem o que sua empresa faz. Junto com o símbolo apresente o slogan ou tagline e, se achar necessário, a página na Internet.

Passo 5 – Contato

As informações de contato devem aparecer em todos os tipos de cartão de visita. São elas o telefone, o e-mail e, se preferir, o endereço da empresa.

Passo 6 – Foto

A foto é opcional e poderá ajudar a lembrar de você. Mas só utilize aquelas em que você aparece respeitável e amigável.

Passo 7 – Ação

Você pode incluir uma chamada de ação criativa em seu cartão de visita.

Passo 8 – Sangria

A sangria é uma área de proteção para o corte e deve ter em torno de 3 milímetros.

Passo 9 – Área em branco

No verso é importante deixar um espaço em branco sem verniz para que o cliente faça anotações se achar necessário.

Passo 10 – QR Code

É opcional e permite que o cliente possa encontrar informações adicionais em seu smartphone.



quinta-feira, 17 de maio de 2018

50 cartões de visita muito criativos e surpreendentes para inspiração


Hoje você dará um mergulho na inspiração de 50 cartões de visita muito originais em uma seleção única e surpreendente que lhe dará grandes idéias.

Cartões de visita para marcar os espíritos

Confira uma série de 50 inspirações de cartões de visita com mídia variada e amplas áreas. Você encontrará mapas para designers, cabeleireiros e empresas de transporte, por exemplo. A ideia principal dos cartões de visita é deixar uma impressão para manter seu nome e companhia. Você encontrará no restante do artigo uma bela coleção de cartões que voam e tocam nossa criatividade.