Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: A importância do diagnóstico precoce do câncer de mama Google+

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

A importância do diagnóstico precoce do câncer de mama

O câncer de mama é uma das doenças mais comuns em mulheres acima dos 40 anos. Preveni-lo totalmente ainda é tarefa impossível para a medicina, mesmo com todos os avanços ao longo dos últimos anos. Mas é possível reduzir os fatores de risco obtendo um diagnóstico precoce do problema, fundamental para controlar a doença. O mês de outubro se dedica a conscientizar a população a respeito desta grave enfermidade. É o chamado “Outubro Rosa”, movimento que cresce a cada ano, incluindo palestras, seminários, caminhadas e outras atividades, tudo em prol da conscientização para impedir que o câncer de mama tenha um efeito devastador.


DIAGNÓSTICO PRECOCE, A CHAVE PARA COMBATER A DOENÇA

O câncer ocorre devido ao crescimento descomedido das células da mama, que acabam adquirindo anormalidades. Embora seja incomum, também pode acometer os homens. Mas a doença é quase exclusiva das mulheres. De acordo com dados do INCA, mais de 57 mil casos de câncer de mama foram registrados em 2014. 



Infelizmente ainda não há como prevenir o desenvolvimento da doença. No entanto, as mulheres precisam de atenção redobrada após os 40 anos. A mamografia, exame que detecta o câncer, deve ser realizada uma vez por ano a partir desta idade. É necessário o acompanhamento de um mastologista, médico especialista no assunto. O exame torna-se indispensável porque a doença não apresenta sintomas no início. Apenas quando já se encontra em um estágio mais avançado é que começam a aparecer os nódulos, manchas e aumento de uma mama em relação à outra. Portanto, diagnosticar o problema logo nos primeiros momentos pode impedir que a doença cresça de forma perigosa, colocando, muitas vezes, até a vida em jogo. A melhor maneira para derrotar o câncer de mama é impedindo a entrada dele em campo.

Vale ressaltar que dor na mama não é necessariamente um sinal de câncer. É incomum o tumor provocar dores, a não ser em casos bem específicos, quando produz alguma inflamação, por exemplo. De uma maneira geral, as dores estão associadas a fatores hormonais ou emocionais, que têm a ver com estresse, problemas cotidianos, entre outros motivos. Caso a mulher esteja amamentando, a dor pode ser consequência do excesso de leite. 

FATORES DE RISCO E CAUSAS

Como foi dito acima, não é possível prevenir a doença, de forma a impedir completamente o seu desenvolvimento. Mas algumas atitudes podem ser tomadas para diminuir o risco. A obesidade e o sedentarismo são fatores que elevam a possibilidade de ocorrência do câncer de mama. Então, a respeitável dupla que combate quase todos os tipos de doença precisa entrar em ação: alimentação saudável e prática de exercícios físicos.

Também são fatores de risco o tabagismo e o alcoolismo. Ao abandonar o cigarro e maneirar na bebida, você estará dando um bom passo para se distanciar do câncer de mama. 

Há, porém, as chamadas causas naturais, que independem da força de vontade das pessoas. Ter uma predisposição hereditária significa que o cuidado deve ser maior. O histórico familiar, infelizmente, indica uma propensão ao tumor. Portanto, um acompanhamento constante é indispensável.

Confira no vídeo a seguir como fazer o auto-exame:


Fonte: Por Fernando Hawad no http://www.esporteessencial.com.br