Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Outubro 2015 Google+

sábado, 31 de outubro de 2015

31 de Outubro - Dia Mundial do Comissário de Voo

Comemora-se hoje, 31 de Outubro, o Dia Mundial do Comissário de Bordo ou Assistente de Bordo, em homenagem ao surgimento da profissão, em 1930. A profissão de comissário de bordo ou aeromoça surgiu devido a reivindicação de uma mulher enfermeira, Ellen Church, apaixonada pela aviação e impossibilitada de pilotar uma aeronave por ser mulher.

Por este motivo, Ellen Church propôs a Boeing Air Transport que colocasse enfermeiras a bordo dos aviões para cuidar da saúde e segurança dos passageiros durante o voo.

A Boeing Air Transport, que era até então uma linha aérea e fabricante de aeronaves, contratou oito enfermeiras por um período de experiência de três meses. Essas novas assistentes, que foram chamadas de "aeromoças" logo se tornaram parte integral de todas as linhas aéreas. Elas não precisavam mais ter formação em enfermagem, mas o carácter maternal era considerado como um elemento chave na profissão. 

As primeiras moças contratadas deveriam ser solteiras, não terem filhos, obedecer a um padrão de peso e altura, porém possuiam salários muito baixos. 

A ideia fez muito sucesso, pois as mulheres a bordo passavam segurança aos passageiros, já que a mulher era considerada uma figura de fragilidade, e tendo mulheres trabalhando a bordo passava a ideia aos viajantes de que o avião não era tão perigoso quanto pensavam.

Devido à Segunda Guerra Mundial, as enfermeiras foram convocadas para os campos de batalha, as companhias aéreas então começaram a colocar mulheres de nível superior a bordo, contudo sem perder o charme e a elegância, já que essa profissão representaria a empresa.

A profissão popularizou-se e perdeu o símbolo sensual que possuia, foi então que surgiu o "aeromoço", já que as funções do comissário aumentaram devido ao aumento do fluxo de passageiros, o que exigia mais do profissional. A partir do momento em que o passageiro entra no avião, a sua segurança e conforto são de responsabilidade do comissário de bordo. 

O comissário demonstra os procedimentos de emergência adoptados pela empresa, faz o serviço de bordo e cuida dos passageiros durante a viagem.

Além disso, o comissário está preparado para trabalhar em horários incomuns. Pelas razões acima, conclui-se que a profissão de comissário de bordo requer um conjunto de características pessoais, físicas e psicológicas diferenciadas.

O comissário de voo é o profissional que auxilia o comandante da aeronave. Ele é encarregado do cumprimento das normas relativas à segurança e ao atendimento dos passageiros.


31 de Outubro - Dia da Dona de Casa


A dona de casa é vista na cultura ocidental, tradicionalmente, como a mulher que tem como ocupação principal, trabalhar em casa com as tarefas domésticas, como cuidar dos filhos, limpar a casa, a compra de alimentos e outros itens, a preparação de alimentos, administração ou parte do orçamento familiar, e assim por diante.

Na maioria dos casos, este lugar é a mulher (a esposa em um casamento convencional consiste no homem, a mulher e os filhos). É um trabalho não remunerado normalmente, pelo menos diretamente. Dona de casa tradicionalmente realiza muitas coisas, mas acima de tudo dedicação. Portanto, não é surpreendente que o feminismo que questionam fortemente o papel tradicional de dona de casa, e buscam a mudança.

No entanto, em tempos mais recentes é cada vez mais comum o homem aceitar a assumir o papel que corresponde, de alguma forma para a mulher, e que muitas mulheres desempenham o papel tradicionalmente atribuído aos homens. Outros arranjos são considerados intermediários para os dois extremos possíveis, em que o casal é distribuído mais uniformemente de possíveis tarefas domésticas diárias.

Fonte: es.wikipedia.org

31 Outubro - Dia do Saci





Bruxas, vampiros, fadas, frankensteins e lobisomens costumam aparecer em várias partes do mundo neste último dia de outubro. É quando se comemora o famoso Halloween, chamado no Brasil de Dia das Bruxas. Originária da cultura celta, a data é particularmente forte nos Estados Unidos, onde as crianças saem fantasiadas pela vizinhança pedindo doces nas casas, cena recorrente no imaginário local espalhada ao mundo por meio filmes, livros e programas de TV.


Mas, há quem estranhe esta festa de nome estrangeiro e repleta de figuras estranhas ao imaginário tipicamente brasileiro, sendo comemorada em terras tupiniquins. Sentem falta de curupiras, iaras, mulas-sem-cabeça, tupãs, cucas e até do Saci, também chamado de Saci-pererê, personagem mais famoso do folclore brasileiro.

O negrinho de apenas uma perna que não tira um cachimbo da boca, usa gorro vermelho e apronta travessuras com pessoas e animais é provavelmente uma atualização de um mito indígena, como a maior parte das lendas e folclore brasileiros. Ao se espalhar por diferentes partes do Brasil, ganhou as características atuais, com forte influência africana. Monteiro Lobato foi um responsável direto pela fama do Saci, personagem sempre presente nas aventuras do Sítio do Pica-pau Amarelo e protagonista de livros e pesquisas do escritor.

Conta a lenda que Saci perdeu a perna numa roda de capoeira, e que é um profundo conhecedor das ervas e suas características medicinais, passando todo o tempo pregando peças nas pessoas, escondendo objetos, trançando crinas e rabos de cavalos e assustando os animais. Não há, porém, maldade na astúcia do Saci, que se locomove dentro de um redemoinho. É possível, inclusive, aprisioná-lo em uma garrafa, se conseguir pegá-lo com uma peneira e tirar seu gorro.

Existe até a Capital Nacional do Saci, a cidade de Botucatu, no interior de São Paulo. Lá fica a sede da Associação Nacional de Criadores de Saci, e é comum os moradores garantirem que já viram ou criam seus próprios sacis. O Saci é também o mascote do Internacional, time de futebol gaúcho. Em 2005 foi instituído no Brasil o Dia do Saci, comemorado em 31 de outubro. A escolha da data não foi aleatória e teve como objetivo fazer frente à incorporação do hábito estrangeiro de se comemorar o Halloween, ressaltando nosso próprio folclore e um personagem com características brasileiras.


31 de Outubro - Dia das Bruxas (Halloween)

Esta festa reproduz as tradições dos povos de Gália e Grã Bretanha entre os anos 600 a.C e 800 d.C, sendo que hoje com adaptações feitas pelos Estados Unidos como as decorações e fantasias. Com maior relevância nos países anglo-saxônixos como Canadá, Reino Unido e Estados Unidos, tem base em celebrações dos antigos povos mas não possui registro assertivo da sua origem.

A celebração deste dia tem duas origens na história:

Na origem pagã, está de acordo com a celebração do povo Celta. Com a invasão dos romanos nas ilhas britânicas, houve a mescla das culturas o que fez com que a origem celta fosse esquecida com o tempo. O povo celta fazia uma comemoração chamada “festa de Samhaim” que acontecia entre os dias 5 e 7 de novembro durando uma semana e dava inicio ao novo ano celta.

Diziam que os espíritos dos mortos voltavam nessa data para visitar os vivos e os lares, guiando seus familiares rumo ao outro mundo.

Esta festa era uma das mais importantes para este povo, pois celebrava o que pra nós seria o “céu e o inferno”. Para os celtas o lugar dos mortos era um lugar de felicidade perfeita, onde não havia sofrimento.

Esta data (embora com outro significado) na origem católica, existe desde o século IV. A igreja da Síria considerava um dia para festejar Todos os Mártires. O Papa Bonifacio, três séculos mais tarde, passou a celebrar o dia para Todos os Santos. Esta festa era celebrada em 13 de maio, porém o Papa Gregório mudou esta data para 01 de novembro. No ano de 840 o mesmo Papa ordenou que esta data fosse comemorada universalmente. Como se tornou uma grande festa, tinha inicio no dia 31 de outubro com celebração vespertina e vigília. Traduzindo para o inglês esta festa era chamada de “All Hallow’s Eve” (vigília de Todos os Santos), passando depois pelas formas “All Hallowed Eve” e “All Hallow Een” até chegar à palavra atual “Halloween”.

Outra hipótese para o surgimento desta festa na igreja católica, é que esta, teria tentado eliminar a festa pagã de Samhaim.

Foto: Andrey Armyagov / Shutterstock.com
A relação entre essa data e as bruxas, ocorreu na Idade Média quando havia a perseguição a homens e mulheres que eram considerados curandeiros. Os que fossem suspeitos dessa prática eram chamados de bruxos no sentido negativo. Como punição eram levados a julgamento e consequentemente a fogueira. Quando essa cultura foi levada aos Estados Unidos pelos imigrantes irlandeses, povo de cultura celta ficou então conhecida como “Dia das Bruxas”.

Hoje o Dia das Bruxas pouco tem a ver com a maneira que era celebrada antigamente. O que restou foi a referência aos mortos, mas com características bem distintas. Devido a esta relação, os símbolos usados nesta festa são sempre assustadores: Bruxas, caveiras e gatos pretos, são comuns nesta data.

As crianças participam desta festa se fantasiando e batem de porta em porta na vizinhança pedindo doces e guloseimas com a frase “doçura ou travessura”. Acontece na véspera do dia de todos os Santos no dia 31 de outubro em grande parte do Ocidente, mas com maior significância nos Estados Unidos.

No Brasil esta comemoração é mais recente e acontece devido à grande influência americana, principalmente pelos grandes veículos de comunicação. Os cursos de inglês também exercem significativa importância neste movimento no país para que haja uma vivência da cultura estrangeira pelos alunos.

Alguns brasileiros não concordam com a comemoração desta data no país argumentando que o Brasil tem um folclore muito rico e que não deve ser esquecido, ao contrário, deve se valorizado. Então, para isso, foi criado pelo governo o dia do Saci comemorado também em 31 de outubro desde 2005.

O Halloween:

O Halloween, ou Dia das Bruxas, como é conhecido no Brasil, é uma forte tradição cultural nos Estados Unidos, mas surgiu entre os Celtas (na região onde hoje fica a Irlanda) a cerca de 2500 anos. O nome “Halloween” é uma contração do termo "All hallow"s eve", que significa “véspera de todos os santos”, no inglês antigo.

Desde sua origem, o Halloween é celebrado no dia 31 de outubro, data que marca o Samhain (o Ano Novo Celta), o início do outono no hemisfério norte, e é ainda a véspera do Dia de Todos os Santos.

Não se sabe com exatidão quais eram os objetivos dos celtas a utilizarem objetos assustadores em suas casas nesse dia, ou porque usavam fantasias macabras. Os celtas não deixaram registros escritos, e sua história e tradições foi passada oralmente de geração em geração.

Uma das teorias a respeito dessa tradição é de que os celtas acreditavam que nesse dia, os espíritos dos mortos se levantavam, e saiam em busca dos vivos, de quem tomariam os corpos. A decoração e as fantasias assustadoras seriam utilizadas como forma de se defender. A frase "travessuras ou gostosuras" (trick or treat, em inglês) também tem origem na tradição celta, assim como a utilização da maçã de diversas maneiras durante o Halloween (cortada ao meio, a parte interna da maçã apresenta o desenho de um pentagrama) e as abóboras ocas iluminadas (para os celtas, nabosocos).

Na Idade Média, a tradição era motivo de perseguição e condenação (à fogueira) por parte da Igreja. Foi na época da Inquisição que o nome “Dia das Bruxas” foi adotado, e que a Igreja criou o Dia de Finados (dia 2 de novembro).

O Halloween foi introduzido nos Estados Unidos por imigrantes irlandeses, em 1840. Os vínculos com a tradição celta, e mesmo com a religiosidade incutida pela Igreja foram se perdendo com o passar dos anos. Atualmente, o Halloween é mais uma tradição de cunho comercial. No dia 31 de outubro as crianças saem para a rua fantasiadas, batendo na porta das casas, e dizendo a frase tradicional: “travessuras ou gostosuras”, para ganhar doces. Entre os adultos, é comum a decoração das casas e a troca de presentes.

O Halloween foi difundido pelo mundo pelo cinema americano. No Brasil, além da televisão, as escolas de idiomas introduziram a festa entre as crianças e os jovens. 


sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Nunca perca o consumidor de vista

O Comportamento do Consumidor é uma área de investigação com forte base nas ciências sociais, e que posteriormente foi alargada ao domínio econômico (especialmente marketing). Primeiro de tudo, devemos assumir que estamos sempre a consumir algo: pode ser tempo, oxigênio, comida, entretenimento, prazer … praticamente qualquer coisa, mesmo que por vezes não pareça óbvio.

Claro que também há uma questão de perspectiva: se o leitor estiver a apreciar o mar, pode jurar que não está a consumir nada; por outro lado, se o leitor foi de férias para terras distantes e estiver a contemplar o mar, essa contemplação já foi paga no pacote de férias – o mar está incluído :) 

Mas a maior parte do tempo em que falamos de consumo, estamos a referir-nos ao plano econômico, quando compramos um produto ou um serviço, por exemplo. Ou uma experiência. Ou um som. O ponto central aqui é “que podemos comprar”, porque as empresas precisam de consumidores a comprar os seus itens. E há muitas coisas que achamos que nunca vamos comprar – o ar que respiramos, por exemplo. Mas talvez um dia nós teremos de o fazer: todos os recursos ganham importância quando são escassos!

Continuando com a ideia de “comprar”, a verdade é que pensamos muito sobre o que comprar, como escolher ou como pagar aquilo que compramos, de forma que a expressão “Comportamento de Compra” (Buying Behavior) foi a principal referência até há algum tempo. No entanto, esta designação é limitada para expressar os padrões de consumo, pois só tem em conta as acções imediatamente anteriores à compra, durante a compra e imediatamente a seguir à compra. É como descrever um comboio dizendo que ele tem uma única carruagem – quando na realidade tem várias, e o “Comportamento de Compra” é uma delas. O momento da compra é, por vezes, um resultado, um fim, e não faz justiça a toda a relação existente entre consumidores e o ambiente económico que os rodeia.

Actualmente, existe um outro mito: o “Comportamento do Consumidor” está intrinsecamente relacionado com a pesquisa de mercado (Market Research), e às vezes são vistos como a mesma coisa. Se procurar no Google alguma coisa sobre Comportamento do Consumidor, vai encontrar muitas empresas que oferecem estudos de mercado (nos resultados de pesquisa). Esta situação não reflecte a realidade, porque a pesquisa de mercado é uma ferramenta para obter insights que poderão ser operacionalizados à luz do Comportamento do Consumidor. Os relatórios de estudos de mercado, por si só, são de valor limitado. O valor real vem quando esses relatórios são associados a uma perspectiva de Comportamento do Consumidor, geralmente com a administração e os departamentos de Marketing a serem cruciais para perceber os problemas – e eventuais soluções – no seu todo.


O que é o Comportamento do Consumidor?


Como todas as definições, por definição, não há uma definição adequada de Comportamento do Consumidor para todos os fins e situações :)

Mas podemos lançar alguma luz sobre o assunto. Em seguida vou apresentar cinco definições poderosas e dar a minha opinião pessoal sobre cada uma delas. Pode ter a sensação de que elas são muito semelhantes, mas cada uma tem o dom de trazer algo novo para a discussão.

Solomon: “Comportamento do Consumidor inclui os processos envolvidos quando indivíduos ou grupos escolhem, compram, usam ou dispõem de produtos, serviços, experiências ou ideias para satisfazer as suas necessidades e desejos”

Quick feelings > um bom ponto de partida para definir Comportamento do Consumidor, por um dos seus mais proeminentes representantes. Dois pontos interessantes: (i) refere-se a “grupos de consumidores”, um aspecto muito actual, como se pode ver pelo sucesso da Groupon, (ii) ao falar de “experiências” leva-nos a algumas formas (agora) populares de marketing, como marketing experiencial ou marketing sensorial.

Jacob Jacoby: “o Comportamento do Consumidor reflecte a totalidade das decisões do consumidor no que respeita à aquisição, consumo e disposição de bens, serviços, actividades, experiências, pessoas e ideias por unidades de decisão humanas (ao longo do tempo)”

Quick feelings > A minha atenção vai para a expressão “ao longo do tempo”, porque o estudo do comportamento do consumidor não pára após o consumo de um produto ou utilização de um serviço. Os insights assimilados nessa fase podem ser fundamentais para desenhar linhas estratégicas das próximas campanhas de marketing.

Mittal: “Comportamento do Consumidor são as actividades mentais e físicas realizadas pelos consumidores para adquirir e consumir os produtos (em sentido amplo, como qualquer produto ou serviço, físico ou não físico, que oferecem algum benefício para o consumidor, incluindo um lugar, uma pessoa ou uma ideia oferecidos para troca) de modo a satisfazer as suas necessidades (condições de desconforto físico e psicológico) e desejos (um desejo por um objecto, produto ou serviço específicos). “

Quick feelings > Banwari Mittal (tive o prazer de conversar com ele quando veio para Portugal há 2/3 anos, através do IPAM) dá-nos uma definição muito detalhada, com preocupação especial para as atividades “mentais” e “físicas”. 

Os consumidores não vão simplesmente comprar os seus produtos (atividade física): eles precisam ser convencidos a fazê-lo, deve-se explicar porque é que determinado produto tem valor para eles e as informações necessárias para que faça sentido para eles (atividade mental).

Hawkins, Best e Coney: “Comportamento do Consumidor é o estudo de indivíduos, grupos ou organizações e os processos que eles usam para selecionar, usar e dispor de produtos, serviços, experiências ou ideias para satisfazer as suas necessidades, e o impacto que estes processos possam ter para o consumidor e a sociedade “

Quick feelings > no seu grande livro “Comportamento do Consumidor: construindo a estratégia de marketing“, os autores contribuem com uma perspectiva de futuro para a definição de Comportamento do Consumidor, pois a componente social é salvaguardada. Assim sendo, nesta definição podem caber preocupações de responsabilidade social, marketing verde, consumo excessivo, causas sociais ou outras temáticas que abrangem o indivíduo inserido na sociedade.

Kardes, Cronley e Cline: “O Comportamento do Consumidor envolve todas as actividades associadas à compra, uso e disposição de bens e serviços, incluindo as respostas emocionais, mentais e comportamentais que precedem, determinam e sucedem a essas atividades”

Quick feelings > Kardes, Cronley e Cline, com o seu livro “Comportamento do Consumidor (2010)” chegam a um bom compromisso para alcançar uma definição aceitável. O que há de novo? Duas coisas: (i) separam claramente o comportamento, as cognições e as emoções na equação do consumo e (ii) dão-nos grande amplitude de tempo entre o antes e o depois de comprar algo. Em outras definições, esse tempo é demasiado curto e circunscrito ao ato da compra. O comportamento do consumidor deve ser incorporado nos trabalhos – especialmente estratégias de gestão, de marketing e vendas – muito mais cedo do que o esperado por todos os CEO’s e marketeers de uma empresa.

Porque é que o comportamento do Consumidor interessa?

Vejamos uma definição de marketing dada por uma autoridade no assunto, a Associação de Marketing Americana:

“Marketing é a atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e transacionar ofertas que têm valor para os clientes, parceiros e sociedade em geral.”

Penso ser pacífico que a parte crucial da definição é a expressão “que têm valor para os clientes“. As empresas podem criar, comunicar, entregar ou transacionar as ofertas que quiserem … mas isso não significa lucro, caso não tragam valor para os clientes. E para lhes dar valor, eles precisam de estar no centro da mesa, quando os projetos estratégicos nascem.

Assim, o Comportamento do Consumidor é importante em muitos aspectos – gostaria de enfatizar 10 exemplos:
  1. – Estabelece pontos de orientação para as estratégias de gestão e marketing a serem seguidas, com base na perspectiva dos consumidores e no conhecimento científico existente acerca desta área do saber
  2. – Fornece ao Marketing e à Gestão uma perspectiva cronológica e holística dos clientes ao longo do tempo, revelando a dinâmica da trilogia cliente – empresa – concorrência e permitindo ainda a antecipação de tendências.
  3. – Manter-se focado no consumidor, permite descobrir novas necessidades, produtos, serviços ou experiências valorizadas por eles. A inovação começa com as pistas subtis que os consumidores deixam para trás.
  4. – A Pesquisa de Mercado (uma parte fundamental da estratégia das empresas) pode ser optimizada pela presença de um especialista em Comportamento do Consumidor: desde o desenho da metodologia até à utilização consciente dos resultados e follow-up dos projetos.
  5. – O acompanhamento constante dos clientes possibilita a criação de atividades e programas de fidelização mais eficazes e adequados.
  6. – O Comportamento do Consumidor é de grande importância para uma correta segmentação do mercado, porque a complexidade e a sobrecarga de informação estão a mudar os critérios de segmentação atualmente utilizados pelos profissionais de marketing.
  7. – O Comportamento do Consumidor pode ser muito eficaz numa dinâmica bilateral: ao assimilar o modus operandi dos clientes através dos “olhos” da força de vendas, pode processar essa informação e retribuir mais tarde com insights valiosos – por exemplo, indicando a melhor forma de abordagem aos clientes em campanhas e produtos específicos.
  8. – Novas ferramentas de marketing digital (sites, blogues, SEO, Social Media…) podem ser potenciadas pelo conhecimento em Comportamento do Consumidor, especialmente em no webdesign e esquemas de atividades em redes sociais.
  9. – Grande parte do que se faz em RP, publicidade e comunicação é construído sobre fundações da Psicologia e Sociologia – o que faz com que o Comportamento do Consumidor e a Psicologia da Publicidade sejam parceiros naturais nas decisões de marketing.
  10. – Um especialista em comportamento do consumidor pode ser de grande ajuda nas questões de posicionamento: ele compreende o universo perceptivo em que as marcas se deslocam, e pode contribuir para colocar as insígnias na melhor posição possível na mente dos consumidores.
Espero que este artigo ajude o leitor a entender como o Comportamento do Consumidor pode desempenhar um papel útil numa empresa, e por que é importante quando integrado nas estratégias de marketing de marcas e produtos.

Caso tenha alguma dúvida, esteja à vontade para expor sua opinião!

Por Francisco Teixeira para o www.consumerbehaviorportugal.com

30 de Outubro - Dia do Balconista

O balconista ou atendente é aquele profissional que recebe o comprador e é o responsável direto pela venda.


A sua função é mostrar as qualidades ou os defeitos de um produto para que o próprio consumidor possa decidir pela compra ou não do mesmo.

Essa relação irá interferir diretamente na venda ou permanência de um produto nas prateleiras ou depósitos.

Hoje em dia, o balconista deve saber muito mais do que vender.

É preciso saber como atender bem o cliente, afinal de contas, muitas vezes um sorriso ou uma cara amarrada podem determinar a compra ou não de uma mercadoria.

Além disso, a maioria dos atendentes devem fazer cursos e se aprimorar, sobretudo porque as exigências do mercado, assim como o uso dos recursos da informática no setor de vendas tem crescido cada dia mais.

Fonte: UFGNet

30 de Outubro - Dia do Comércio

Comércio é a troca de produtos. Antigamente, as trocas eram feitas por produtos de valor desconhecido onde cada um valorizava seu produto. Hoje, a troca é feita de forma indireta, uma pessoa troca o dinheiro pelo produto que deseja. A invenção do dinheiro contribuiu para a simplificação e promoção do desenvolvimento do comércio.


O comércio pode estar relacionado com a economia formal que é firma registrada dentro da lei ou à economia informal que são firmas sem registros que não pagam impostos. O comércio informal traz prejuízos ao país, pois clonam qualquer tipo de produto para a venda mais barata e isso resulta em altíssimos prejuízos.


O mercado é o lugar público onde negociantes expõem e vendem seus produtos. O surgimento do mercado como um espaço físico ocorreu na antiguidade antes da invenção do dinheiro. Independentemente da existência do dinheiro, é a oferta e a procura por mercadorias ou serviços que permite a existência do comércio.


O comércio pode ser realizado entre países, o que chamamos de comércio exterior. Nesse caso, o país se organiza para importar e exportar. Exportar é quando um produto ou bem é vendido para fora do país e importar consiste na entrada de um produto estrangeiro no país. O comércio atacadista vende produtos em grandes quantidades visando donos de mercados que recebem descontos maiores por ainda revenderem a mercadoria enquanto o varejista vende produtos unitários e visa os consumidores finais para o próprio consumo do produto.


O Comércio Eletrônico no Brasil

Segundo o e-bit, o e-commerce brasileiro faturou aproximadamente R$ 28 bilhões em 2013, como consequência principalmente do crescimento do acesso à internet, tendo como uma das principais causas o aumento das vendas de tablets e smartphones. A adesão aos dispositivos móveis por parte dos brasileiros deve aumentar cada vez mais devido à redução dos preços desses aparelhos. Além disso, o crescimento da classe C também é um impulsionador do e-commerce, segundo a instituição, 56% dos novos consumidores pertencem a este grupo.

Crescimento do Comércio Eletrônico:

Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, para os próximos anos o setor deve permanecer apresentando altas taxas de crescimento, com destaque na expectativa do aumento no consumo de bens digitais, tais como e-books, músicas e filmes on demand.

As expectativas para o setor são positivas, pois o consumidor brasileiro está mais confiante pra comprar "online", as novas gerações que agora entram no mercado de trabalho já nasceram em tempos de internet e os investimentos estrangeiros não estão vindo apenas na forma de capital, mas também como tecnologia e conhecimento.

O crescimento contínuo do comércio eletrônico é impulsionado por:


Maior utilização da Internet. De acordo com o relatório TIC Domicílios, divulgado pelo Centro de Estudos sobre Tecnologia da Informação e da Comunicação (CETIC), em 2013 o número de usuários de internet no Brasil passou da metade da população, atingindo 51% dos cidadãos com mais de 10 anos de idade, ou 85,9 milhões de pessoas.


Aumento do hábito de compras online entre os usuários de Internet. A alta penetração de serviços como online banking, transmissão da declaração do imposto de renda pela Internet e comunidades virtuais denotam a propensão da população brasileira para adotar novas tecnologias. O hábito de comprar online está em amplo crescimento, não obstante a penetração dentre usuários de Internet permanecer baixo (50%, contra 90% nos EUA). A expectativa é que esta diferença reduza significativamente à medida que mais pessoas tenham experiências positivas na compra online.


Crescimento de banda larga. De acordo com o relatório do Instituto Nielsen, o Brasil possuía 40 milhões de usuários de banda larga em 2013 (aproximadamente 20% da população). O uso de banda larga favorece a experiência de compra online, levando ao aumento das vendas pela internet.


Sortimento limitado em lojas tradicionais. O mercado varejista brasileiro caracteriza-se por lojas com pouco sortimento e pela ausência de grandes category killers e megastores. Esta deficiência favorece os varejistas online, uma vez que estes não possuem limitação de espaço de prateleira e não necessitam replicar estoques em várias lojas.


quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Economizando de forma consciente em tempos de crise

Confira a matéria especial de hoje no G1 da Paraíba sobre economia em tempos de crise com a participação da Gráfica Moura Ramos.

Apps essenciais para advogados


A cultura dos smartphones já tomou conta da vida da maioria das pessoas, mas o que muita gente não sabe é que seu aparelho celular também pode ser uma ótima ferramenta de trabalho. Saber tirar proveito das novas tecnologias é de extrema importância para os operadores do Direito em início de carreira ou para aqueles já consagrados em suas profissões.

Sabemos que com a grande oferta de aplicativos jurídicos no mercado, pode ser difícil escolher os aplicativos que de fato te ajudarão no seu dia a dia.

Por isso, confira a lista do JurisOffice com os 10 apps essenciais para advogados:

1. DocuSign

Para quem acha que a assinatura de documentos só pode ser feita pessoalmente, está na hora de conhecer o DocuSign. Com esse aplicativo gratuito, basta baixar o arquivo em PDF que permite a assinatura digital e envio de documentos.


DocuSign:




2. TurboScan

O TurboScan permite que você transforme seu celular em um scanner portátil para documentos e recibos. Além disso, você pode transformar processos em PDF.


TurboScan:




3. JurisOffice

Já pensou ter todas as ferramentas para o seu dia a dia no trabalho reunidas em um só local? O JurisOffice te oferece: ferramentas de organização, gerenciamento de casos e clientes e muito mais.

E o melhor de tudo, não requer instalação! Basta acessar sua conta através do site:https://jurisoffice.com/pt

Para saber mais acesse: https://jurisoffice.com/pt/features/




4.GoToMeeting

Para aqueles que tem de fazer reuniões constantes seja com clientes ou profissionais de outros escritórios, oGoToMeeting permite que você faça videoconferências de onde estiver. A versão gratuita possibilita videoconferências com até 3 usuários, sem a necessidade de download ou de cadastro no site.


GoToMeeting: 




5.Skitch

A leitura de textos ganha um novo aliado com o Skitch que permite que você faça anotações, utilizando setas, cores, marcações, ferramentas de traços e texto.




6.LinkedIn Today

Este aplicativo permite que você reúna notícias através de palavras chaves. O aplicativo é gratuito e oferece acesso aos comentários de profissionais e especialistas sobre determinado assunto.




7.Vade Mecum

Para te auxiliar nos seus estudos, o Vade Mecum armazena as legislações contidas no livro mais caro de todas as livrarias, tudo no seu celular!

Vade Mecum: 




8.Waze

Se você precisa se deslocar de seu escritório com certa frequência, o Waze é a sua melhor opção. Através de um ambiente colaborativo, o Waze permite que usuários troquem informações sobre o trânsito, acidentes, engarrafamentos etc. Tudo em tempo real!


Waze: 




9.HootSuite

As redes sociais também são ótimas fontes de informação e para que você não precise baixar um aplicativo para cada uma delas, o HootSuite armazena todas as suas contas sociais em uma única plataforma.
HootSuite: 



10.CamCard

Você não precisar mais se preocupar em guardar espaço para os seus cartões de negócios. Com o CamCard, basta fotografar o cartão de visita para armazená-lo em seu banco de dados. A versão gratuita possui limitação no número de contatos e anúncios. Já a versão paga (US$ 7,99) oferece um número ilimitado de cartões .


CamCard: 



Não perca mais tempo e use os aplicativos para facilitar o seu dia a dia no trabalho!

Fonte: JurisOffice (https://jurisoffice.com/pt/) e 

JurisOffice no Facebook: https://www.facebook.com/jurisofficebr

29 de Outubro - Dia Nacional do Livro

No dia 29 de outubro de 1810, com a transferência da Real Biblioteca portuguesa para o Rio de Janeiro, originou-se a Biblioteca Nacional.

O fato está ligado à vinda da família real ao Brasil e é para celebrar essa data que foi instituído o Dia Nacional do Livro.

É verdade que existe também um Dia Internacional do Livro, comemorado a 23 de abril. Porém, considerando-se a importância desse objeto - o livro -, todas as homenagens são justificadas.

Desde o Antigo Egito, o livro foi o meio ou o veículo principal de transmissão do conhecimento. Mas nem sempre o livro teve o formato que o caracteriza nos dias de hoje, sendo feito de folhas de papel coladas ou costuradas, que contêm um texto escrito e são encadernadas no interior de uma capa.

Os livros da Antiguidade eram rolos ou cilindros feitos de papiro, uma planta da família das ciperáceas, à qual também pertence, por exemplo, o capim-cidreira. O papiro em que se escrevia era somente uma parte da planta de mesmo nome. Para isso, a planta era liberada ou livrada de suas outras partes e é da ideia de livrar ou liberar que se origina a palavra "livro", a partir do latim "libri".

Com o passar do tempo, o papiro foi substituído pelo pergaminho, que é a pele de um animal, geralmente de carneiros, preparada para servir de suporte para a escrita. O pergaminho tem sua origem na cidade grega de Pérgamo, na Ásia menor (atual Turquia). Sendo mais resistente que o papiro, o pergaminho podia ser costurado o que possibilitou deixar de lado os cilindros e fez surgir o códex ou códice, um objeto de formato semelhante ao do livro atual.

O papel - originário da China - chegou ao Ocidente na Idade Média e, desde então, substituiu o pergaminho na confecção de livros. Convém lembrar que até então o texto dos livros era escrito à mão. Somente em meados do século 15, o empresário Johannes Gutemberg inventou a impressora de tipos móveis, o que agilizou a produção de livros, popularizando-os e abrindo caminho para que a edição se transformasse num processo industrial.

No Brasil, a impressão de textos também remonta à vinda da família real. O príncipe regente dom João fundou aqui a Impressão Régia, em 13 de maio de 1808. Ainda assim, durante mais de um século, grande parte dos livros que circulavam em território brasileiro ainda eram impressos na Europa. O surgimento de uma indústria editorial no Brasil data somente das décadas de 1930 e 1940.

Em outubro de 2008, um dos temas de discussão da Feira do Livro de Frankfurt - o maior evento internacional no âmbito da edição de livros - foi o livro eletrônico ou e-book que deve substituir o livro de papel num futuro próximo. Trata-se de diversos tipos de aparelhos computadorizados nos quais se vão baixar conteúdos escritos e imagens em formato digital.

Uma pesquisa realizada na Feira de Frankfurt revelou que em 2018 os livros eletrônicos já deverão ser mais vendidos do que os tradicionais livros de papel. Vale lembrar, porém, que o conteúdo de muitos livros já se encontra disponível na internet. Um site onde se podem encontrar bons livros e que merece ser visitado é o Domínio Público, do Ministério da Educação.


Campanha de rua incentiva as pessoas a manterem as ruas limpas

Image credits: Charlie Elliott

Hubbub, uma organização do Reino Unido, planeja limpar as ruas de Londres por meio de sua campanha #neatstreets. Um projeto inteligente faz os fumantes votarem sobre vários temas, colocando suas pontas de cigarro em recipientes transparentes, divididos em espaços públicos. E ainda há uma outra ideia, que incentiva as pessoas a grudarem seus chicletes em um mural para ligar os pontos especialmente projetados.
Image credits: Sarah E Clarke


Aqui, você escolhe onde jogar seu cigarro conforme a pergunta: “Qual é o melhor jogador do mundo?”
Image credits: Design Week





“Descobrimos que 86% das pessoas acha que jogar lixo no chão é um hábito nojento, mas apenas 15% de nós temos coragem de enfrentar alguém e dizer que está fazendo algo errado,” a organização escreve em sua página na Internet. “É por isso que estamos criando uma nova abordagem para combater o hábito de jogar lixo nas ruas, usando um pensamento diferente sobre a mudança de comportamento e sensibilização de todo o mundo.”
Image credits: Catherina Jones



Conforme as pessoas foram grudando seus chicletes no painel, o desenho da cabine foi se formando.
Image credits: Jeannine Saba





quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Cortana em PT-BR será lançada em dezembro para insiders


Depois de tantos rumores e um longo período de espera, a famosa assistente de voz que dá uma personalidade ao Windows já tem data para chegar ao Brasil.


Conforme postagem do site Windows Team, a Cortana será lançada em dezembro deste ano para usuários do programa Windows Insider.

A informação é de um representante oficial da Microsoft Brasil, que vem para colocar um ponto final nos boatos de que o recurso estaria disponível na próxima semana, em uma build que já traria a novidade integrada.

Apesar de ser limitada a poucos usuários, a Cortana em PT-BR poderá ser testada tanto no sistema operacional para computadores quanto nos smartphones. Como de costume, é possível que as primeiras interações sejam limitadas ou apresentem erros, já que o software chegará em versão de testes.


Incríveis esculturas na ponta do lápis


Salavat Fidai prova que um grande artista não precisa criar grandes peças para fazer um nome e mostrar seu talento. O que ele cria não é maior do que a ponta de um lápis – literalmente. Sob o brilho de uma única lâmpada, Fidai usa uma minúscula faca artesanal e uma lupa para criar pequenas esculturas na ponta do lápis.



Filho de professores de arte, Fidai era um advogado que trabalhava perto de casa, na Rússia, de onde ele foi demitido no ano passado. Ao invés de procurar emprego em outro escritório, Fidai dedicou seu tempo inteiro à arte e agora ele é capaz de ajudar a sustentar sua família com a venda de suas obras em miniatura, fotografias e pinturas.


28 de Outubro - Dia de São Judas Tadeu

Judas, apóstolo que celebramos hoje, era natural de Caná da Galileia, na Palestina. O seu pai, Alfeu, era irmão de São José; a mãe, Maria Cléofas, prima irmã de Maria Santíssima. Portanto, Judas era primo irmão de Jesus e irmão de Tiago, chamado o Menor, também discípulo de Jesus. 

No evangelho de Mateus, vemos que Judas Tadeu foi escolhido por Jesus. Na ceia, Judas Tadeu perguntou a Jesus: "Mestre, por que razão deves manifestar-te a nós e não ao mundo?" Jesus lhe respondeu que a verdadeira manifestação de Deus está reservada para aqueles que o amam e guardam a sua palavra. Também faz parte do Novo Testamento a pequena Carta de São Judas, a qual traz os fundamentos para perseverar no amor de Jesus e adverte contra os falsos mestres. 

Após ter recebido o dom do Espírito Santo, Judas Tadeu iniciou sua pregação na Galileia. Depois foi para a Samaria e próximo do ano 50, tomou parte no primeiro Concílio, em Jerusalém. Em seguida, continuou a evangelizar na Mesopotâmia, Síria, Armênia e Pérsia, onde encontrou Simão, e passaram a viajar juntos. 

O apóstolo Judas Tadeu se tornou um mártir da fé. Os sacerdotes pagãos furiosos mandaram assassinar o apóstolo, a golpes de bastões, lanças e machados. Tudo teria acontecido no dia 28 de outubro de 70. Sua imagem traz até hoje a palavra de Deus e um machadinho, símbolo de seu martírio. 

Reflexão: 

São Bernardo de Claraval assegura que “entre os devotos de S. Judas, poucos há que não tenham recebido provas especiais da sua assistência nas doenças, nos assuntos mais difíceis e mesmo no desespero, nos temores, nos desgostos, nas calúnias, na pobreza, na miséria, e nas ocasiões em que toda a esperança humana parecia perdida”. É invocado como o santo dos desesperados e aflitos, das causas sem solução ou perdidas. 

Oração: 

Senhor Jesus, Tu escolheste S. Judas entre os teus Apóstolos e fizeste dele, para o nosso tempo, o Apóstolo das causas desesperadas. Agradeço-Te por todos os benefícios que me concedeste por sua intercessão e peço-Te que me concedas a Tua graça nesta vida para que possa participar um dia, na Tua glória, na alegria eterna. Amém.

Fonte: Por Padre Evaldo César de Souza para o http://www.a12.com

28 de Outubro - Dia do Funcionário Público



No dia 28 de outubro comemora-se o dia do servidor público. A data foi instituída no governo do presidente Getúlio Vargas, através da criação do Conselho Federal do Serviço Público Civil, em 1937.

Em 1938 foi fundado o Departamento Administrativo do Serviço Público do Brasil, onde esse tipo de serviço passou a ser mais utilizado.

As leis que regem os direitos e deveres dos funcionários que prestam serviços públicos estão no decreto nº 1.713, de 28 de outubro de 1939, motivo pelo qual é o dia da comemoração desse profissional.

Em 11 de dezembro de 1990, foi publicado o novo Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais, a Lei nº8112, alterando várias disposições da antiga lei, porém os direitos e deveres desses servidores estão definidos e estabelecidos na Constituição Federal do Brasil, além dos estatutos das entidades em que trabalham.

Os serviços públicos estão divididos em classes hierárquicas, de acordo com os órgãos dos governos, que podem ser municipais, estaduais ou federais. Os serviços prestados podem ser de várias áreas de atuação, como da justiça, saúde, segurança, etc.

Para ser servidor público é preciso participar de concursos e ser aprovado no mesmo, garantindo assim a vaga enquanto profissional. O bom desse tipo de trabalho é que o servidor tem estabilidade, não pode ser dispensado de suas funções. Somente em casos extremos, em que se comprove a falta de idoneidade de um funcionário público, é que o mesmo é afastado de seu cargo.

Os salários dos funcionários públicos são pagos pelos cofres públicos, dependendo da localidade. Se for municipal, são pagos pelas prefeituras; se estadual, pelos governos estaduais; e se federal, pagos pelos cofres da União.

Os servidores públicos devem ser prestativos e educados, pois trabalham para atender a população civil de uma localidade. É comum vermos pessoas reclamarem dos serviços públicos, da falta de recursos dos mesmos, falta de profissionais para prestar os devidos atendimentos ou até mesmo por estes serem mal educados e ríspidos com a população. É bom enfatizar que esses profissionais lidam com o que é público, ou seja, aquilo que é de todas as pessoas. Portanto, ganham para prestar serviços a toda comunidade.

Fonte: Por Jussara de Barros para o Brasil Escola

terça-feira, 27 de outubro de 2015

Android e 'programa de fidelidade' com a Coca-Cola

Google quer fazer com que os usuários que já adotaram o Android Pay como sistema de pagamento continuem no serviço e nem pensem em migrar para um rival. Por isso, a empresa anunciou o primeiro grande parceiro do serviço a partir de um "programa de fidelidade".

Segundo o site Re/code, em breve o vice-presidente sênior de publicidade e comércio da Google, Sridhar Ramaswamy, vai anunciar uma aliança com a Coca-Cola. Assim, ao comprar o refrigerante nas máquinas de venda automática com o Android Pay, você recebe pontos que podem ser trocados por mais uma lata, por exemplo.

São mais de 20 mil máquinas de venda de Coca-Cola espalhados nos EUA que contam a tecnologia NFC. Além disso, os vendedores as operadoras norte-americanas serão treinados a falar aos novos consumidores sobre a existência do serviço de pagamentos.






De acordo com o executivo, já são "milhões" de donos de Android cadastrados no Android Pay, sendo que mais de 60% deles não utilizava os serviços antigos, como a Google Wallet.