Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral.: Maio 2015 Google+

domingo, 31 de maio de 2015

31 de Maio - Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

Trata-se de um título litúrgico, celebrado a 31 de maio.


Sabemos que Jesus Cristo é o nosso único Salvador e o nosso único mediador principal e necessário. Contudo, Maria Santíssima, em sua missão materna, é "membro supereminente e absolutamente único da Igreja" (LG 53) e sua missão "em favor dos homens de modo algum obscurece nem diminui a mediação única de Cristo; pelo contrário, até ostenta sua potência, pois todo salutar influxo da bem-aventurada Virgem (...) deriva dos superabundantes méritos de Cristo, estriba-se na sua mediação, dela depende inteiramente e dela aufere toda a sua força" (LG 60).

Consumando Jesus Cristo, com sua morte, o mistério de nossa Redenção, abriram-se para todos os homens as portas do céu; faltava, porém, a aplicação dos merecimentos da vida, paixão e morte do Salvador às necessidades de todas as almas e de cada alma em particular, para que pudéssemos de fato entrar na pátria celeste.

Essa aplicação da Redenção seria feita pelo próprio Jesus Cristo, que, indo para o Pai, estaria sempre a interceder por nós.

Sim, Jesus Cristo é mediador entre Deus e os homens, conseguindo-nos, do Eterno Pai, os frutos da Redenção.

Contudo, mediador único, Jesus Cristo estabeleceu que outros cooperassem com ele na obtenção e distribuição dos dons sobrenaturais; assim o justo, já mesmo neste mundo, vem a ser um desses mediadores e, uma vez no céu, com maior eficácia intercederá por nós, diante do trono de Deus; são, pois, muitos os mediadores a interceder por nossa salvação.

Portanto, se todo cristão pode e deve cooperar, por suas orações, à salvação dos homens, por que Maria, a mais perfeita das criaturas e a mais unida a Nosso Senhor, não será a mediadora por excelência na obra da Redenção?

"Era desígnio de Deus", diz Leão XIII, que, após ter Maria servido de intermediária no mistério da Redenção, "continuasse igualmente a ser intermediária das graças que esse mistério faria correr em todos os tempos".

Sim, convinha que aquela que fora nossa co-redentora, merecendo-nos, com a graça da Redenção, todas as demais graças, interviesse na dispensação e distribuição de todas as graças e méritos.

Somente assim é que a Imaculada Maria teria sobre o demônio perfeita e completa vitória, como se esperava fosse a vitória sua, completa e perfeita, segundo o justo entendimento daquele texto marial e messiânico: "Porei inimizade entre ti e a mulher"...

"De fato, na cooperação com o novo Adão, Jesus Cristo, é que estava a razão da vitória da nova Eva, Maria. Que Maria, portanto, cooperasse também com ele, dignamente, plenamente, na obra da distribuição dos frutos da Redenção depois de haver com ele cooperado na aquisição do nosso resgate."

Mas é especialmente da maternidade espiritual da Santíssima Virgem Maria que decorre essa verdade de sua mediação universal, verdade já admitida nos primeiros séculos do cristianismo, pois sempre entenderam os cristãos que, se Maria estava sempre com Jesus como, por exemplo, em Nazaré, em Caná, no Calvário, e, depois da morte de seu Divino Filho, com os apóstolos e discípulos, a aconselhá-los e a dirigi-los, e sempre a interceder pelos homens era porque Jesus Cristo a queria corno medianeira de todas as suas graças.

E, portanto, porque de fato Maria coopera na salvação das almas, obtendo-lhes as graças necessárias para perseverarem no bem ou para restaurar-lhes a vida da graça, quando perdida pelo pecado, é por isso que Maria granjeou o título tão consolador para nós pobres mortais: Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças.

A devoção a Nossa Senhora Medianeira de todas as Graças é muito presente em Santa Maria, no estado do Rio Grande do Sul, iniciada com a chegada de um santinho vindo da Bélgica. O então Pe. Inácio Valle S.J. introduziu esta devoção entre os seminaristas, no Seminário São José, em 1928. A devoção adquiriu novo impulso em 1930, quando a cidade de Santa Maria foi preservada de um iminente confronto armado entre as unidades militares locais. Um grupo de pessoas dirigiu-se até a Capela do Seminário São José para agradecer a Nossa Senhora, por ter evitado o confronto e ter preservado incólume a cidade. Assim, tivemos início as Romarias.

A Romaria Estadual da Medianeira que se realiza anualmente no segundo domingo do mês de Novembro é a mais tradicional Romaria do Estado do Rio Grande do Sul, sendo também a mais antiga e a que reúne maior número de participantes.

Bibliografia

Edésia Aducci, "Maria e seus títulos gloriosos", Ed. Loyola, 1998, pp. 27-28

Fonte: www.geocities.com

31 de Maio - Dia Mundial sem Tabaco

Por amor, não fume!
O tabaco é responsável por cerca de seis milhões de mortes em todo o mundo, decorrentes tanto do consumo direto, quanto do indireto. No Brasil, estima-se que o tabagismo seja responsável por 200 mil óbitos ao ano. O tabaco, além de ser responsável por vários tipos de câncer, também aumenta o risco de doenças cardiovasculares e respiratórias, inclusive para fumantes passivos. Entre os tipos de câncer associados ao consumo de tabaco, o mais frequente é o de pulmão, com um risco de mais de 90% em homens e de 70% em mulheres.

Ações de prevenção e de controle do tabagismo incluem medidas educativas, preventivas e regulatórias, como a proibição do uso de cigarros em lugares públicos e a proibição de publicidade, restringindo-os aos pontos de venda. 

É proibido fumar cigarros, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos derivados do tabaco em locais de uso coletivo, públicos ou privados, de todo o país. Essa proibição se aplica a restaurantes, bares, boates, escolas, universidades, hotéis, pousadas, casas de shows, ambientes de trabalho, repartições públicas, instituições de saúde, veículos públicos e privados de transporte coletivo, hall e corredores de condomínios, etc., mesmo que o ambiente seja parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou toldo. 

O Ministério da Saúde lançou em 2015 a campanha “Pode respirar fundo: ambientes coletivos 100% livres da fumaça do tabaco”, disponível em www.saude.gov.br/leiantifumo. Asista o vídeo a seguir: 

Essas medidas representam um importante avanço na Política Nacional de Controle do Tabaco, pois garante proteção à população brasileira contra os danos à saúde decorrentes da exposição à fumaça ambiental do tabaco, em especial aos trabalhadores de ambientes coletivos.

O tabagismo, ou hábito de fumar, é a doença crônica mais prevalente no mundo, além de ser a maior causa de morte evitável.

A maior parte dos tabagistas, ou fumantes, está preocupada com as conseqüências do tabagismo para sua própria saúde e quer, sim, parar de fumar. No entanto, tentativas solitárias do próprio fumante em cessar o hábito, dependendo somente de sua força de vontade, têm um índice de sucesso de apenas 5%, enquanto que quando com acompanhamento médico e suporte psicológico, estes índices ultrapassam 50% em uma única tentativa.

O cigarro contém mais de 4.700 substâncias químicas e mais de 60 que são cancerígenas, mas a dependência física e psicológica advém da nicotina. No Brasil chegamos a índices de 25% da população sendo tabagista, e índices alarmantes de até 27% entre adolescentes. O tabagismo também cresceu muito entre as mulheres.

É bom que fique claro que não existem níveis seguros de consumo de cigarro, ou seja, fumar apenas um cigarro por dia também pode ocasionar doenças. Além disso, os cigarros de baixo teor de nicotina também aumentam o risco de câncer de pulmão, enfisema pulmonar, bronquite e doenças cardiovasculares. Destaque a parte fica para o câncer de pulmão, que é um dos piores riscos a que o fumante se expõe e é o tipo de câncer que mais mata no mundo, com cerca de 170 mil mortes por ano somente nos EUA e com 1,2 milhão de novos casos por ano no mundo. O risco de se ter câncer de pulmão é 24 vezes maior nos fumantes. Além disso, existe relação do tabagismo com câncer de esôfago, estômago, laringe e de boca.

Como as formulações comerciais de reposição de nicotina disponíveis no mercado não necessitam de receita médica, é comum vermos fumantes que, em conversa de balcão na farmácia, saem com gomas de mascar de nicotina ou adesivos de nicotina achando que todos os seus problemas serão resolvidos, o que, infelizmente, não é verdade. O tratamento de abandono do cigarro é multidisciplinar e multifocal, envolvendo suporte psicológico e auto-ajuda, mudanças de hábitos de vida, reposição farmacológica de nicotina e drogas que diminuem a ansiedade e o desejo de fumar.

O papel dos médicos e de todos outros profissionais de saúde, independentemente de sua área de atuação ou de sua especialidade, é estimular que seus pacientes parem de fumar. Conversar com os pacientes, expor os benefícios de levar uma vida saudável e sem vícios pode ajudá-los a encarar a guerra que terão de travar com o vício para abandoná-lo definitivamente. Além disso, os profissionais da saúde deveriam encaminhar os pacientes tabagistas para os profissionais habilitados para o tratamento, atitude que nem sempre acontece, infelizmente. 

Somam-se a isso a inconcebível ideia de que muitos médicos ainda são fumantes. Pesquisas apontam que de quatro médicos no Brasil, um é fumante. Apesar de todo o conhecimento que têm, apesar de verem as pessoas adoecendo, muitos não conseguem abandonar o cigarro porque são nicotino-dependentes, porque entraram em contato com a nicotina em suas adolescências, como 90% dos fumantes. E só depois é que se tornaram profissionais de saúde. Por isso, é importante frisar: até quem mais entende de saúde pode ser dependente de nicotina. O que não pode acontecer é o paciente pensar que cigarro não faz mal porque seu médico fuma.

Ele é tão somente mais um dependente. Se você é um fumante, pense em você, pense que você tem em suas mãos a chance de não desenvolver doenças pulmonares como bronquite ou enfisema pulmonar, e doenças gravíssimas como o câncer de pulmão. Pense que você poderá diminuir a sua chance de ter um infarto do miocárdio ou um derrame cerebral se parar de fumar hoje. Pense nas pessoas que convivem com você, no seu companheiro (a) e nos seus filhos, seus colegas de trabalho, que involuntariamente estão sendo expostos aos mesmos agentes tóxicos que você, por causa da fumaça que você exala para prezar o seu próprio vício e, assim garantir prazer a você mesmo. Existem muitas doenças que infelizmente não podemos evitar, mas as doenças causadas pelo cigarro são evitáveis, e porque você não vai fazer a sua parte? 

Os cartazes de sala de espera, sabiamente, dizem “por favor, não fume”. Seria melhor dizer: “por amor, não fume”. 

Alexandre Garcia de Lima é médico cirurgião torácico, mestre em Cirurgia pela Unicamp, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, das Sociedades Paulista e Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. É Diretor Técnico do Instituto Nova Campinas. 

Fonte: www.institutonovacampinas.com.br por Alexandre Garcia de Lima

31 de Maio - Dia Internacional da Aeromoça

Em 1930, S. A. Stimson, presidente da companhia aérea Boeing Air Transport, idealizou a profissão de aeromoça. Ele criou uma equipe de anfitriãs aéreas que tinham conhecimentos de enfermagem. Em 15 de maio de 1930, oito aeromoças começaram a trabalhar na rota Oakland-Cheyenne. 


A(o) Comissaria(o) de Voo(a) ou Aeromoça é, antes de tudo, um agente de segurança. Preparado para qualquer emergência, este profissional zela pela tranqüilidade e conforto dos passageiros. Além, claro, de fazer o atendimento de bordo durante o voo. 

O mercado está cada vez mais aquecido. As companhias nacionais estão expandindo suas rotas, outras entrando no mercado, e, como mais pessoas hoje em dia estão voando, a demanda por profissionais é constante.

Quem imagina que a função de um comissário de bordo é somente receber bem os passageiros e lhes dar todo o conforto necessário durante o voo está enganado. O comissário é um técnico responsável pelo cumprimento das normas e procedimentos de segurança no avião. Para isso, ele recebe treinamento prático de sobrevivência na selva e no mar durante o curso, além de familiarização com os equipamentos de emergência disponíveis dentro de cada tipo de aeronave.


sábado, 30 de maio de 2015

A Incrível Arte de Fomina Olga

Belos retratos femininos coloridos e com tema fantasia, esse é o trabalho da Artista digital russa Olga Fomina com incríveis foto manipulações. Aqui você pode ver alguns dos seus melhores trabalhos de arte. Muitos outros podem ser vistos em seu site no DeviantArt Helga -Hertz. Confira!











Foto antes e depois da manipulação digital

Fonte: Fantasy Art

Realidade virtual que pode mudar o mundo a sua volta

A fabricante de óleo de motor Castrol apostou na realidade virtual e em um processo bastante complexo (e tecnológico) de test-drive para a nova campanha publicitária da companhia.



Para promover a linha de diesel Edge Titanium Strong, a empresa convidou um piloto de fórmula D (de drift), Matt Powers, a pilotar um carro de verdade em um estacionamento deserto e gigantesco. A diferença é que, no lugar no capacete convencional, o equipamento de segurança conta com um Oculus Rift servindo de visor. Em vez do mundo real, Powers enxerga uma espécie de jogo de corrida realista e pós-apocalíptico, em que o cenário parece desmoronar.

O resultado? Um carro andando de verdade, mas com o condutor achando que está em outra dimensão. Em resumo, o veículo foi transformado em um controle de video game gigante.

O vídeo da Castrol (acima) tem um pouco de fantasia, é verdade, mas só pensar no que o piloto enxergava no momento já é de tirar o fôlego. Para não causar acidentes, batidas ou desvios da pista, pesquisadores passaram dias mapeando o estacionamento com um GPS para sincronizar o cenário real com a pista projetada no óculos.



O segundo clipe acima mostra esse processo de pesquisa e desenvolvimento, além da instalação dos sensores e de todo o equipamento no carro. Ao todo, foram dois meses de trabalho que, ao menos de acordo com as reações ao primeiro clipe, sem dúvidas valeram o esforço.



30 de Maio - Dia do Geólogo

Afinal o que é um geólogo... na Terra?

A questão foi levantada por R.C. Selley em artigo para o Council of the Geological Society em 1995. Selley [1] refere duas tendências diferentes, embora relacionadas:

1. Um número cada vez menor de cientistas trabalha em Geologia com formação (geológica) clássica, e experiência adquirida pelo trabalho de campo (podemos considerá-los "orto"-geólogos).

2. Importantes contribuições para a Geologia têm sido dadas por cientistas sem formação clássica em Geologia; podemos considera-los "para"-geólogos.

A Sociedade Geológica inglesa encontrando-se perante o dilema entre manter o perfil clássico de geólogo (garantindo assim o reconhecimento da classe) e a necessidade de "acolher" os "para"-geólogos (podendo colocar em risco a identidade da classe) promoveu um debate e ouviu diversas instituições, organizações industriais e academias inglesas. Quatro importantes questões foram discutidas no sentido de se obter um consenso:

1. O que é Geologia ?

Foram apresentadas diversas definições; historicamente a primeira utilização do termo foi feita por Richard de Bury (Bispo de Durham 1333-1345) que definiu geologia como o estudo das coisas terrenas, por oposição a teologia — estudo das coisas divinas.

Rothery (Open University) apresentou uma definição suficientemente abrangente para incluir o estudo de planetas, satélites e asteroides. A Universidade de Bristol propôs o estudo de todas as coisas da ionosfera para baixo. Ambas as definições são muito mais abrangentes do que a definição de Holmes o estudo da Terra ou da citação clássica se bates com um martelo, então é geologia.

Aceitando o espectro de definições apresentadas poder-se-á argumentar que um cientista da Terra estuda o planeta desde a ionosfera para baixo, incluindo portanto, meteorologia, climatologia, oceanografia e geologia. Um cientista da Terra (geocientista) aplica a ciência no estudo da Terra.

Um geólogo é um [cientista da Terra] especialista em observação de campo, que estuda as rochas (condizente com a citação anterior "se bates com um martelo, então é geologia").

2. O que caracteriza um Geólogo?

Um geólogo é definido pelo conhecimento, capacidades ou ações? O debate permitiu concluir que um geólogo é caracterizado mais pelas capacidades do que pelo conhecimento, nomeadamente:

1. Por aptidão natural, ou treino, os geólogos são capazes de tomar decisões com base em dados que são inadequados, que provêm de várias fontes, e que apresentam grau de confiança muito variável (daí que frequentemente ex-geólogos sejam bons em finanças).

2. Por aptidão natural, ou treino, os geólogos têm mais "consciência sinérgica" do que outros especialistas numa única ciência pura.

3. Por aptidão natural, ou treino, os geólogos possuem uma percepção tridimensional (3D) bem desenvolvida.

4. Por aptidão natural, ou treino, os geólogos possuem uma percepção 4D bem desenvolvida.

Serão as capacidades acima apresentadas, inatas ou adquiridas pelo trabalho de campo, que diferenciam um geólogo de outros cientistas da Terra (geocientistas). Apesar destas capacidades poderem ser inatas nalgumas pessoas, são particular e efetivamente adquiridas através do trabalho de campo em geral, e da cartografia geológica em particular.

3. Trabalho de campo?

É surpreendente verificar que os geólogos empregados na indústria consideram de maior importância o treino em trabalho de campo do que os geólogos das universidades. Selley acrescenta não existirem duvidas de que muito poucos cursos seguem a regra — Oxburg-Rule — de 150 dias de trabalho de campo necessários para a formação de um geólogo. A fatura está a ser paga:

uma famosa sondagem em West Shetlands furou 60m no soco porque nenhum dos 6 geólogos que a acompanharam reconheceu o granito.

numa das suas últimas saídas de campo a Java, depósitos marinhos "beach rock" foram-lhe descritos como "carbonatito vulcânico".

apresentaram-lhe sinclinais que eram anticlinais e vice-versa devido a má aplicação do critério de polaridade.

foram mostradas argilas marinhas com intercalações de bombas-vulcânicas (o que constituía um grande mistério pois não era conhecido vulcanismo contemporâneo); quando bateu com o martelo nestas "bombas-vulcânicas" revelaram-se nódulos de de siderite alterados cheios de bivalves.

Grandes geo-fantasias têm sido criadas com base em observações errôneas deste tipo. Se o treino em trabalho de campo diminuir tais geoboobs irão multiplicar-se.

4. Acreditação de geólogos?

Muitas vezes a discussão acerca do que era geólogo, ou geologia, virou-se para a importância do título profissional Chartered Geologist (Geólogo encartado).

Muitas organizações consideram a obtenção do estatuto de Chartered como uma parte integrante do desenvolvimento das carreiras profissionais do seu staff, sejam consultores, engenheiros ou cientistas.

Historicamente o título Chartered Geologist é mais valorizado pelos geólogos que se empregam junto de engenheiros. Na indústria de petróleo britânica, contudo, o título de geólogo encartado é pouco considerado. Todavia ganha importância para trabalhos transoceânicos e particularmente para sub-contratos e consultores.

Pelo contrário nos departamentos universitários verificou-se constantemente que o corpo docente não reconhece qualquer valor em se tornar chartered. Os acadêmicos ficaram muitas vezes surpreendidos com a ideia de que poderiam não ser considerados profissionais, pelo mundo exterior, dado seremunchartered.

No entanto é possível que, brevemente, a questão venha a ficar fora do âmbito da Geological Society. O Council of Science and Thechnology Institutes, o "guarda-chuva" de todos os organismos científicos e profissionais ingleses, está atualmente a ponderar a possibilidade de considerar em paridade os títulos de Chartered Scientist e de Chartered Engineer.

Fonte: www.geopor.pt

sexta-feira, 29 de maio de 2015

29 de Maio - Dia do Aniversário do IBGE

Em 29 de maio de 1936, o Instituto Nacional de Estatísticas (atual IBGE) começava suas atividades, por conta de uma série de mudanças na estrutura político-administrativa do governo Getúlio Vargas, na década de 30.


E uma das ações a ser implantada era montar uma agência federal de estatística que reunisse as que já existiam em âmbito local. O objetivo era centralizar em um só todos os órgãos de informação que subsidiavam o governo federal.

Nascia, assim, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, órgão da administração federal, atualmente subordinado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, cuja missão é retratar o Brasil com informações necessárias ao conhecimento de sua realidade e ao exercício da cidadania.

Composto por quatro diretorias (Executiva, de Pesquisas, Geociências e de Informática), um Centro de Documentação e Disseminação de Informações e pela Escola Nacional de Ciências Estatísticas (ENCE), o IBGE também possui uma rede de coleta e disseminação para que seus estudos cubram o território nacional: ao todo, 27 Unidades Estaduais em todas as Unidades da Federação e no Distrito Federal, além de mais de 540 agências locais.

INFORMAÇÕES ESTATÍSTICAS

Entre as inúmeras pesquisas realizadas pelo IBGE, destaca-se o Censo Demográfico, que acontece de dez em dez anos e constitui o núcleo das estatísticas sociodemográficas do instituto. No intervalo entre dois censos, realiza-se também a Contagem da População, que aprimora as estimativas anuais da população.

Ainda dentro do âmbito social e demográfico, são realizadas a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, a Pesquisa Mensal de Emprego e a Pesquisa de Orçamentos Familiares, entre outras.

Conheça outras informações que o IBGE produz através de seus estudos e pesquisas: Estatísticas da agropecuária

Censo Agropecuário, Pesquisa Agrícola Municipal e Pesquisa da Pecuária Municipal. Estatísticas econômicas

Pesquisa Anual do Comércio, Pesquisa Industrial Anual, Pesquisa Anual da Indústria da Construção e Pesquisa Anual de Serviços. Índices de preços

Acompanhamento mensal do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) e do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Além destes dois, há também o Sistema Nacional de Custos e Índices da Construção Civil - SINAPI, que acompanha a evolução dos preços nesse setor. Sistemas de Contas Nacionais

Oferece uma visão de conjunto da economia, seguindo as mais recentes recomendações das Nações Unidas, com o cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e a Matriz de Insumo-Produto.

INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS

Ordenadas em cinco itens, as atividades de geografia no IBGE são as listadas abaixo:

Sistema Geodésico Brasileiro, que é um conjunto de marcos, implantados e mantidos nos terrenos pelo IBGE, que serve de referência, por exemplo, para construção de estradas, pontes, barragens e ainda para mapeamento, geofísica, pesquisas científicas etc.

Mapeamento Geográfico, Topográfico e Municipal, que abrange as cartas topográficas e os mapas derivados dessas cartas: mapas do Brasil, regionais, estaduais e municipais.

Estruturas Territoriais, que acompanha a evolução das divisões do território (político-administrativa, regionais e setoriais), delimitando e representando áreas legais e bases operacionais para pesquisas estatísticas e geográficas.

Recursos Naturais e Meio Ambiente, que faz mapeamentos, estuda e pesquisa temas relacionados ao solo, relevo, clima e à geologia, além da fauna e flora. Avalia também os impactos ambientais provocados pela ação do homem.

Informações Geográficas, que regionaliza os territórios, subsidiando o levantamento e a disseminação de estatísticas e a formulação e monitoramento de políticas públicas.



29 de Maio - Dia do Estatístico

No dia 29 de maio comemora-se o Dia do Estatístico. Em 29 de maio de 1936 o Instituto Nacional de Estatística (INE) deu início às suas atividades, ocasião em que determinou a data como celebração da profissão. No ano seguinte, o Conselho Brasileiro de Geografia incorporou-se ao INE e passou a se chamar Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


A palavra “Estatística” vem do alemão “Statistik”, que significa analisar, verificar. Estatística é um conjunto de regras e métodos de pesquisa que nos permite planejar, processar e analisar informações.

Com o rápido avanço das tecnologias, as empresas estão sempre em busca de soluções e alternativas rápidas para alavancar suas vendas e suas relações com o público-alvo. Coleta de informações, análises de micro e macroambiente, definição de perfis são necessidades de qualquer empresa que deseja manter-se competitiva. Assim, a diversidade de atuação dentro do mercado de trabalho é um dos atrativos para quem trabalha com Estatística.

29 de Maio - Dia do Geógrafo

Dos radicais gregos "geo" e "graphos", que significam terra e escrever, surgiu a palavra Geografia. Ela se define como uma ciência que abrange o estudo da superfície da Terra, a fim de descrever e analisar os fenômenos físicos, biológicos e humanos que acontecem na superfície do nosso planeta. Esta superfície apresenta quantidades equilibradas de minerais, água, diversos solos, vida animal e vegetal, além de uma infinidade de detalhes que mudam com o tempo. A relação entre esses diferentes componentes da superfície é o objeto de estudo da Geografia.


A Geografia é uma das mais antigas disciplinas acadêmicas e, inicialmente, foi chamada de história natural ou filosofia natural. Teve seu início na Grécia antiga, terra de origem da filosofia e das ciências humanas. Porém, este estudo não teve muita importância até o seu ressurgimento, durante o Renascimento e com os grandes exploradores dos séculos XIV e XV. Desde então, a Geografia foi se desenvolvendo até se tornar uma especialidade.

No Brasil, a Geografia só passou a ser matéria das Instituições de Ensino Superior após a Revolução de 30. Nesta ocasião, foram criados os cursos superiores de Geografia e História, nas faculdades de Filosofia e também nos cursos de Administração e Finanças. Atualmente, a Geografia é uma ciência e um instrumento de extrema importância para toda a sociedade.

A dinâmica e complexidade do mundo moderno, exigem pleno reconhecimento dos espaços físicos ocupados pelo homem e como a sua atuação influi na mudança das paisagens. Milton Santos, um dos geógrafos de mais expressividade no Brasil, define a importância dessa ciência em poucas palavras: "O papel da Geografia é explicar as relações que se estabelecem, ao longo da História, entre a Humanidade e o Planeta e a constituição das paisagens e espaços resultantes".

Fonte: www.paulinas.org.br

29 de Maio - Dia Mundial da Energia

No dia 29 de maio comemora-se o “Dia Mundial da Energia”, data que tem por finalidade destacar a necessidade de poupar energia e, consequentemente, diminuir o impacto ambiental e preservar os recursos naturais. É também uma grande oportunidade para relembrar os benefícios que o uso de fontes renováveis traz não só para o meio ambiente, como também para a sociedade, já que sua utilização implica diminuição dos níveis de poluição e um crescimento baseado no desenvolvimento sustentável.


Porém, essa lógica parece ainda não ter sido adotada por boa parte da população. O estudo “Sustentabilidade ambiental no Brasil: biodiversidade, economia e bem-estar humano”, divulgado em fevereiro deste ano pelo Ipea, mostra que a indústria brasileira, por exemplo, tem se tornado menos eficiente no consumo de energia se comparado à produção. Isso quer dizer que esse setor do país tem gastado mais energia para produzir a mesma quantidade em reais. O ideal é que a produção aumente, mas que os gastos e malefícios gerados pelo mau uso da energia diminuam.

Além disso, pesquisas mostram que muitas vezes a preocupação com a quantidade e os tipos de energias utilizadas ainda é vista pelos governos, empresas e pela população em geral como uma questão secundária. Estimativas feitas pelo Instituto Internacional de Economia mostram que, se a população mundial não modificar seus hábitos, a demanda por energia projetada no mundo aumentará 1,7% ao ano até 2030, quando alcançará 15,3 bilhões de toneladas equivalentes de petróleo.

Pensando na necessidade de reverter esse quadro, o SEPRORJ aproveita a data para dar algumas dicas de como poupar energia:


- substitua uma lâmpada incandescente de 100W de potência por uma lâmpada fluorescente compacta equivalente (de alta eficiência) ou de LEDs;

- apague o forno ou fogão momentos antes de terminar de preparar a sua refeição e use fogo alto durante todo o cozimento;

- regule corretamente a temperatura do congelador;

- verifique o consumo de energia de cada equipamento antes de comprá-lo;

- desligue os aparelhos no botão, em vez de desligar no comando;

- sempre que possível, seque a roupa ao sol e/ou vento;

- crie o hábito de desligar a luz sempre que sair de um cômodo;

- depois de carregar aparelhos como celulares, MP3 ou máquinas fotográficas retire o carregador da tomada, caso contrário, continuarão a gastar energia;

- limpe o pó dos utensílios leves regularmente. Uma grande camada do pó pode bloquear até 50% da produção de luz;

- use menos água quente, uma quantidade considerável de energia é utilizada para aquecer água.

Faça a sua parte! Incorpore práticas como essas no seu dia a dia e ajude a construir um mundo melhor para aqueles que o habitam, e para as futuras gerações. E fique atento: a economia de energia é também um tema aberto à aplicação das TIC.

Texto: Nathalia Menezes
Edição: Priscila Thereso

Fonte: www.tirio.org.br

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Ciclovias para Mobilidade Urbana no Brasil

O cientista político e cicloativista colombiano Andrés Jara Moreno esteve em São Paulo semana passada para participar do seminário sobre mobilidade urbana na Câmara de Vereadores. Coordenador de Relações Internacionais e um dos principais integrantes da prefeitura de Enrique Peñalosa na capital Bogotá (1998-2001), ele foi responsável pela organização e execução de projetos relacionados ao transporte público e à implantação das ciclorrutas na cidade (foto ao lado).

Atualmente com mais de 310 quilômetros de faixas exclusivas para bicicletas, Bogotá se tornou um case de sucesso para a América Latina quando o tema é planejamento urbano voltado para ciclistas e pedestres. Mas, como afirma Moreno, nem sempre a cidade foi tão receptiva à ideia de abrir mão de espaços nas vias em detrimento dos veículos. “Tivemos que reeducar o povo de Bogotá para a noção de que as ruas devem ser democráticas, mas priorizando quem de fato está nelas”, conta. Como o próprio Peñalosa, ele acredita que recuperar as ruas e as calçadas para quem está fora dos carros particulares cumpre um importante papel social nas metrópoles. “Mais importante do que as críticas, é que essas infraestruturas oferecem uma opção de locomoção para uma massa crítica que não tem como comprar um carro ou muitas vezes pagar pelo serviço de transporte público todos os dias”, diz.

Para o colombiano, a exemplo do TransMilenio de Bogotá, integração com os modais de massa deve ser um dos focos para o sucesso do projeto de expansão da malha cicloviária de São Paulo pelo prefeito Fernando Haddad, que promete criar um total de 400 quilômetros de faixas até o final de 2015.

Diretor da própria consultoria de planejamento, a Criteria, Moreno também foi diretor doInstitute for Transportation and Development Policy (ITDP) na Colômbia e participou de projetos para implantação de sistemas Bus Rapid Transit e transporte sobre trilhos em países como China, Índia, Indonésia, África do Sul e México, entre outros. Em entrevista ao Planeta Sustentável e ao blog, ele conta como São Paulo pode se beneficiar das lições aprendidas em Bogotá no começo da década passada.

Bogotá continua uma referência na América Latina quando o tema é mobilidade e planejamento urbano, especialmente para as bicicletas. Como a cidade conseguiu isso e qual foi o peso do governo de Enrique Peñalosa?

É preciso entender antes o processo histórico e social, que abriu a cabeça dos cidadãos para isso. As primeiras ciclovias da cidade surgem em 1974, quando o prefeito Augusto Ramirez Ocampo fechou dez quilômetros de vias principais aos fins de semana e feriados para que as pessoas pudessem caminhar, pedalar, andar de patins… Com o tempo essa ideia foi crescendo até chegar aos atuais 128 quilômetros que temos de ciclovias de lazer. Mas embora já tivessemos essa tradição do ciclismo para esporte ou lazer, Bogotá nem sempre foi uma cidade amigável com ciclistas que utilizam a bicicleta como meio de transporte entre suas casas e o trabalho nos dias de semana.

Os ciclistas eram como uma casta de párias. Em 1998, primeiro ano do governo Peñalosa, apenas 0,4% das viagens diárias na cidade eram feitas de bicicleta e acidentes fatais envolvendo ciclistas no eram constantes. Para aumentar esse número e a sensação de segurança foram realizadas algumas campanhas pedagógicas, além de investimentos em infraestrutra, desestimulando o uso do carro particular e a violência no trânsito.

A primeira foi limitar as vagas de estacionamento nas ruas e conscientizar as pessoas de que as calçadas são para os pedestres. Tínhamos na época um problema com os motoristas parando em cima delas, estavam acostumados a desrespeitar os pedestres. Era um começo. Foi necessário um pouco de “mano dura” do prefeito e autoridade legal, mas, resgatando as calçadas, ensinamos sobre a importância de dividir democraticamente as ruas entre os diferentes modais.

Em São Paulo, a prefeitura tem sido bastante criticada por alguns setores por conta da implantação de ciclovias e ciclofaixas. Um dos argumentos é de que elas são pouco utilizadas e, portanto, desnecessárias. O que deve ser levado em conta para projetá-las, a oferta ou a demanda?

Essa é uma questão que a engenharia de tráfego nos EUA responde com a frase “If you build it, they will come” (na tradução “Se você construir, eles virão”). Ou seja, é construindo que se vai gerar oferta e, logo, uma demanda. Como eu disse, apenas 0,4% das viagens diárias eram feitas em bicicleta no momento anterior à implantação das ciclorrutas, que são distintas por possuírem barreiras físicas entre os carros e as bicicletas. Ao todo, foram construídas 313 quilômetros conectando os pontos cardeais da cidade em vias de alto, médio e baixo fluxo de automóveis. No final do governo Peñalosa, esse número passou para 3%, chegando depois aos atuais 6%.

Mas como contornar as críticas?

Mais importante do que as críticas, é que essas infraestruturas oferecem uma opção de locomoção para uma massa crítica que não tem como comprar um carro ou muitas vezes pagar pelo serviço de transporte público todos os dias. As ciclovias e ciclofaixas são uma necessidade social, é contraproducente dizer que não se pode desenhá-las na cidade pois as pessoas não as usariam. Além disso, é importante ressaltar o quanto as pessoas podem se beneficiar delas em termos de qualidade de vida.

As bicicletas deixam as pessoas mais saudáveis, mais produtivas e menos estressadas. E por serem uma alternativa verde, ajudam a reduzir os níveis de poluição atmosférica e sonora na cidade. Por outro lado, já está comprovado nas grandes cidades globais que priorizar pedestres e ciclistas no planejamento urbano também traz um incremento para a economia e um aumento no consumo local. As pessoas passam mais tempo na rua, reparam mais nos comércios e lojas e acabam comprando mais. No final, é esse aspecto que convence os críticos, pois para muitos deles o carro ainda é um sinal de status também.

Na sua opinião, o que São Paulo pode aprender com Bogotá e melhorar em seu programa para os ciclistas e, no geral, para a mobilidade urbana?

Para uma cidade com oito milhões de habitantes, Bogotá tinha um sistema de transportes bastante informal antes do governo Peñalosa. Fizemos uma política integral para desestimular o uso dos veículos particulares, a começar pela construção do sistema BRT (Bus Rapid Transit), o Transmilenio, inspirado no Ligeirinho de Curitiba. Mais do que isso, oferecemos a possibilidade de integração entre os diferentes modais. Se a pessoa quer usar a bicicleta e o Transmilenio, ou deixar o carro em algum lugar e terminar o trajeto de ônibus, ela tem que poder. É vital oferecer isso.

Quando planejamos mobilidade, especialmente na América Latina, é preciso conceber o sistema como um corpo humano, lembrando que a maioria dos deslocamentos se dá das periferias para o centro e de volta nos horários do pico. De manhã, a cidade se contrai e, no final do dia, relaxa. Como um coração, é preciso que as vias estejam abertas. Os congestionamentos são artérias entupidas. O ganho de velocidade e capacidade no transporte público é o que funciona, pois é onde está a maioria das pessoas. É uma questão de lógica. Três carros levam geralmente três motoristas, um ônibus que ocupa o mesmo espaço na via leva mais de setenta.

De forma que funcione o programa de Fernando Haddad para São Paulo, é preciso que a cidade ofereça opções de integração, mais do que melhorar o desenho das faixas para ciclistas já implantadas em alguns locais. Ofertar, por exemplo, bicicletários de graça nos metrôs, descontos ou gratuidade para ciclistas no transporte público é uma forma de incentivar o uso misto de modais. 

As faixas exclusivas são boas, mas não são o suficiente. Infelizmente, sem transporte público de massa eficiente, as ciclovias e ciclofaixas não vão funcionar.

Fotos: Pedro Felipe/Wikicommons e Divulgação

Show Infantil reúne Peppa, Galinha Pintadinha e Toy Story no Espaço Cultural



Diversão garantida para a criançada com as melhores atrações do planeta: O Maior show infantil do ano acontece em João Pessoa, no próximo dia 6 de junho, um sábado, a partir das 17 horas, na Praça do Povo do Espaço Cultural, em Tambauzinho. Lá estarão reunidas a Peppa Pig, A Galinha Pintadinha no seu galinheiro – ou melhor, na sua casa e ainda Toy Story.

Todas essas atrações, as melhores do mundo, além da diversão garantida ainda contaremos com segurança, recreação, serviços especiais de lanchonetes, ambientação e conforto oferecidos ao grandioso público esperado pela maior produtora de shows da Paraíba, a BF Produções & Eventos.

Os portões do Espaço Cultural serão abertos a partir das 16 horas, uma hora antes do início dos espetáculos, para proporcionar conforto e segurança ao público. Aliás, o quesito organização tem sido uma marca da BF Produções & Eventos que já está definitivamente consolidada não só na Paraíba mais também nos Estados vizinhos de Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Os ingressos limitados podem ser adquiridos na Brinquedos & Presentes, lojas no Bessa e Tambaú, Lojas Happy Gift – Shopping Manaíra e Sebrae e nas bilheterias do Espaço Cultural no horário comercial. Maiores informações podem ser obtidas pelo fone 83 8717- 9898.

Fonte: Paraíba.com

28 de Maio - Dia do Ceramista

A cerâmica originou-se no Brasil nas Ilhas de Marajó e segue uma trajetória de ser originalmente produzida para consumo próprio e transformando-se para uso colonizador europeu quando então se adaptou a formas mais livres e criativas para competir no mercado.


Com a urbanização – o que antes era para uso próprio tornou-se oportunidade de trabalho e geração de renda para muitas famílias brasileiras.

“A cerâmica tem o papel de preservar a cultura, tendo diversas fontes de inspiração, como elementos dos cultos africanos, do catolicismo, das culturas indígenas, imagens representadas muitas vezes em objetos utilitários vendidos em feiras de artesanato.”


As artes cerâmicas são produzidas a partir de minerais das entranhas da terra como barro, argila, areia, entre outros. A matéria prima mais utilizada é a argila, modelada e cozida ao sol, em fogueiras ou fornos, onde pode ser ornamentada em sua cor natural ou com variações de pinturas. Neste universo, prevalece a preservação de técnicas e saberes que são passados entre gerações. As peças apresentam desenhos e imagens em forma de animais, cenas do cotidiano dos artesãos, e etc.

Assista ao vídeo “Modos do Fazer: Cerâmica” e saiba mais sobre as associações/cooperativas de artesãos e suas técnicas.


Fonte: Arte Sol

quarta-feira, 27 de maio de 2015

27 de Maio - Dia do Professional Liberal

A pessoa que presta serviços como autônomo em sua área de trabalho é chamada de profissional liberal.

No caso, então, advogados, jornalistas, dentistas, arquitetos ou psicólogos são exemplos de profissionais que podem ser liberais.

Eles precisam, para poder trabalhar como profissionais liberais, obter registro de autonomia, que é conseguido na prefeitura do município onde moram.

O profissional liberal pode ainda constituir uma empresa, com finalidade de prestação de serviço, o que implica, no Brasil, fazer um contrato social, registrado em Cartório de Registro Civil de Pessoas Jurídicas.

No caso de atividades mercantis - em comércio ou indústria - o registro é feito em Junta Comercial, o que caracteriza outro tipo de serviço: uma atividade mercantil.

Serviço autônomo se diferencia nisso: é prestação de serviço.

De oferecer uma habilidade pessoal em troca de um valor em dinheiro. Não fornece produto, fornece mão-de-obra qualificada.

Vantagens e Desvantagens

Vantagens

A vantagem número um de ser um profissional liberal é você não ficar preso às vagas do mercado de trabalho, podendo atuar na área que escolheu por conta própria.

Outra vantagem, conseqüência dessa, é que você estipula seus horários e, mesmo tendo que - é claro - cumprir seus prazos para com o cliente, possui mais flexibilidade nesse sentido.

Desvantagens

Já a desvantagem consiste nos impostos e encargos que, numa empresa, seriam divididos entre você e o patrão e, em se tratando de autônomo, caem 100% nas costas do profissional, que também deve pagar pelos seus próprios benefícios, por exemplo:
  • Férias remuneradas
  • Plano de saúde
  • FGTS
  • Aposentadoria.
Não poder contar com uma quantia fixa e garantida todo mês seria um ponto negativo.

Por outro lado, sabe-se que, dependendo da produtividade, muitos profissionais podem vir a ganhar muito mais do que ganhariam se estivessem empregados com carteira assinada. E por tabela, menos em casos de parada temporária das atividades por causa de doença ou período de férias.


27 de Maio - Dia Mundial dos Meios de Comunicação

O Dia Mundial dos meios de Comunicação foi comemorado pela primeira vez em 12 de maio de 1967, atendendo a proposta do Concílio Vaticano II, onde o papa Paulo VI publicou uma mensagem com o tema “Os meios de Comunicação Social”. A Comunicação vem do latim “communis”, ou seja, comum, dando ideia de comunidade. Comunicar significa participação, trocar informações, tornar comum aos outros, ideias, opiniões e estados de espírito. A contribuição que a imprensa, o cinema, o rádio, a televisão e os outros meios de comunicação social oferecem à cultura, à sociedade e ao mútuo conhecimento, e compreensão entre as pessoas, são grandiosas. 


Mídia é todo o conteúdo, ou forma de instrumento, usado no processo de comunicação, que constantemente está em evolução. Talvez a primeira forma de comunicação entre os seres humanos, tenha sido a linguagem de sinais, usadas na pré-história, e a partir da história, surgiu então a escrita, que acabou se tornado assim, o ponto de partida referencial da comunicação entre os humanos. O principal objetivo da mídia é comunicar, podendo ainda especializar-se na maneira de educar, informar, ensinar, entreter, transmitir, permitindo assim, que o conteúdo de informação atinge lugares na terra imediatamente, influenciando nas relações pessoais, o que se torna algo positivo. Entretanto, se a informação for usada como forma de manipulação, visando interesses de um grupo ou indivíduo específico, criando estereótipos e modificando o comportamento das pessoas, se torna negativo. 

O surgimento da escrita marcou o inicio da historia, seguindo das técnicas de imprimir ilustrações, símbolos, até chegar a própria escrita, tornando acessível, a informação a um número cada vez maior de pessoas, e alterando dessa maneira, o modo de viver e pensar de uma sociedade. Com a escrita, surgiu o jornal, cujo primeiro exemplar data do ano 59 AC, em Roma, criado por Julio César, no intuito de informar o público sobre os mais importantes acontecimentos sociais e políticos da época.

Mas o homem inovou essa disseminação de ideias, e criou o rádio, cuja primeira transmissão ocorreu em 1900, um marco na história da humanidade, porque ao contrario do jornal, que era impresso, o rádio através de suas ondas, possibilitava um alcance muito superior, e numa velocidade maior. Na sequência, foi criada a televisão, em 1924, que unia os componentes gráficos de um jornal, com imagens e figuras, e os componentes de áudio do rádio, com a fala e os sons, permitindo assim, que as pessoas pudessem ver as imagens em movimento, bem como ouvir o que diziam tais imagens. 

Por fim, na era da tecnologia, criou-se o computador, em 1943, que consistia numa enorme máquina que ocupava uma sala inteira, e que em 1971, sofreu algumas transformações, originando o micro computador. Daí pra frente, a evolução na comunicação não parou mais, e vieram os computadores portáteis, os de mão, cuja abrangência de funções tem sido cada vez maiores. Paralelo à evolução dos computadores, encontra-se a internet, que de fato, já existe desde 1969, e era usada exclusivamente para fins militares durante a Guerra Fria, pelas bases militares americanas, e era chamada de ARPANET.


Após a Guerra Fria, seu uso tornou-se desnecessário para fins militares, e estes, decidiram tornar o seu acesso público, em 1971. A ARPANET passou então, a ser usada por acadêmicos e professores universitários, principalmente nos EUA, onde eram trocados pensamentos e mensagens, fazendo com que o sistema fosse renomeado para internet. Nos anos 90 a disseminação e popularização da internet pra fins comerciais, privados, e domésticos, fez com que a sua busca aumentasse, tornando-a, a partir de 2008, indispensável na vida de todos. Estar conectado à rede mundial aumenta a interatividade, o conhecimento, a diversão, e acima de tudo a comunicação.

Vivemos um novo tempo. As redes sociais vêm construindo uma nova forma de ampliar a comunicação. Retirando o monopólio dos veículos, da mídia estabelecida. O domínio da notícia sai das mãos das redações e cai sob o comando popular dos que estão conectados na internet, especialmente em tablets e smartphones – a mobilidade é o ponto de urgência e convergência da necessidade de comunicar inerente ao ser humano. Há mais de dois anos, as ‘primaveras’ circundam o mundo renovando governos, denunciando e, principalmente, sendo ponto de concentração, difusão e mobilização da revolução cognitiva. 

Fontes: Reporter Ambiental e Gazeta de Beirute

Ficou mais fácil e barato falar com a Gráfica Moura Ramos

Ligue para 4007-2173 (capitais) e  
Demais cidades: (83) 3015-4000
e-mail: 
orcamento@mouraramos.com.br
Website
Website
Facebook
Facebook
Twitter
Twitter
YouTube
YouTube

Nosso endereço:
Gráfica Moura Ramos
Rua Rodrigues de Aquino, 741 - Jaguaribe
João Pessoa - PB - CEP: 58015040 - Brasil

27 de Maio - Dia da Mata Atlântica

O Dia da Mata Atlântica marca o desafio de proteger o que ainda resta

É impossível falar da Mata Atlântica, uma das florestas mais exuberantes do mundo, sem usar superlativos para dimensionar sua importância e evidenciar sua urgente proteção.

No dia 27 de maio comemora-se o Dia da Mata Atlântica. A data marca a necessidade de barrar o desmatamento, recuperar o que foi degradado, ampliar o número de áreas protegidas, públicas e privadas, e melhorar a gestão daquelas que já existem. 

DICAS DE COMO CONTRIBUIR PARA A CONSERVAÇÃO DA MATA ATLÂNTICA 

Mais do que regiões isoladas de natureza selvagem, a Mata Atlântica interfere diretamente na vida de 70% da população brasileira. Sua importância se reflete na economia, no desenvolvimento, nas relações sociais nas cidades, entre muitos outros aspectos. A floresta é fonte de água, controla o clima, preserva espécies, protege encostas, permite pesquisas... ou seja, oferece serviços diretos para quem vive nos cerca de 3 mil municípios de seu domínio. 

De outro lado, as atividades humanas influenciam a sobrevivência dos últimos remanescentes de Mata Atlântica: pela produção de lixo, poluição das águas e uso de energia, pelo consumo de alimentos e de bens insustentáveis, além de ocupações irregulares, turismo predatório, exploração ilegal. 

A questão ambiental está presente em todas as áreas da vida e, mais do que parece, desenvolver atitudes responsáveis pode implicar em sociedades mais sustentáveis. Também produz conscientização de mais pessoas e, consequentemente, aumenta as chances de conservação da natureza. 

Conheça melhor parques e unidades de conservação da MATA ATLÂNTICA

Parques Estaduais de São Paulo 

Quarenta trilhas em 19 parques estaduais que somam 200 km em trechos para caminhadas e oferecem as mais diversas paisagens e roteiros já estão disponíveis no guia Passaporte Trilhas de São Paulo. Veja mais detalhes no site do projeto.

Parque Nacional do Iguaçu 

Localizado na fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, é um dos parques mais visitados do Brasil. Milhões de pessoas de todo mundo vem ao parque todos os anos para ver belezas como as Cataratas do Iguaçu. Mais detalhes.


Papéis de parede para você usar do © WWF-Brasil

Papel de parede - quiz Mata Atlântica em Jogo - versão A - 1024x768 / ©: WWF-Brasil

Papel de parede - versão A
Papel de parede - quiz Mata Atlântica em Jogo - versão B - 1024x768 / ©: WWF-Brasil

Papel de parede - versão B
Papel de parede - quiz Mata Atlântica em Jogo - versão C - 1024x768 / ©: WWF-Brasil

Papel de parede - versão C