Gráfica e Editora Moura Ramos: livros, revistas, embalagens, sacolas, agendas e impressos em geral. Google+

terça-feira, 23 de maio de 2017

Curiosidades: A verdadeira história das notícias falsas

A imprensa amarela, de M. Slackens, em que se mostra W. Randolph Hearst como um bobo da corte que divulga notícias. Publicado por Keppler & Schwarzmann em 1910.  BIBLIOTECA DEL CONGRESO DE EE UU

Na longa história da desinformação, o surto atual de notícias falsas já ocupa um lugar especial, com uma assessora presidencial norte-americana, Kellyanne Conway, que chegou a sacar da manga um massacre em Kentucky para defender que se proibisse a entrada nos país de viajantes de sete países muçulmanos. Mas a invenção de verdades alternativas não é tão infrequente, e equivalentes às mensagens de texto e aos tuítes cheios de veneno de hoje podem ser encontrados em quase todos os períodos da história, inclusive na Antiguidade.

Procópio, o historiador bizantino do século VI, escreveu um livro cheio de histórias de veracidade duvidosa, História Secreta (Anedota no título original), que manteve em segredo até sua morte, para arruinar a reputação do imperador Justiniano, depois de ter mostrado adoração a ele em suas obras oficiais. Pietro Aretino tentou manipular a eleição do pontífice em 1522 escrevendo sonetos perversos sobre todos os candidatos menos o preferido por seus patronos, os Médicis, e os prendendo, para que todo mundo os admirasse, no busto de uma figura conhecida como Il Pasquino, perto da Piazza Navona, em Roma. Os pasquins se transformaram em um método habitual para difundir notícias desagradáveis, em sua maioria falsas, sobre personagens públicos.

Ainda que os pasquins nunca tenham desaparecido por complexo, no século XVII foram substituídos em grande parte por um gênero mais popular, o canard, a gazeta cheia de boatos e falsas notícias que circulou pelas ruas de Parisdurante os 200 anos seguintes. Os canards eram jornais impressos em tamanho grande, às vezes ilustrados com gravuras chamativas para atrair os mais crédulos. Um dos mais bem-sucedidos, na década de 1780, anunciou a captura no Chile de um monstro que, aparentemente, estava sendo transferido de barco para a Espanha. Tinha cabeça de fúria, asas de morcego, corpo gigantesco coberto de escamas e rabo de dragão.

A morte de Maria Antonieta é um exemplo das consequências desastrosas da difamação.

Durante a Revolução Francesa, os gravadores colocaram o rosto de Maria Antonieta nas placas de cobre e o canard ganhou nova vida, como propaganda política deliberadamente falsa. Apesar de não ser possível medir sua repercussão, desde cedo contribuiu para o ódio patológico que se sentia com relação à rainha, que desembocou em sua execução em 16 de outubro de 1793.

O Le Canard Enchaîné, um semanário parisiense especializado em revelações políticas exclusivas, hoje evoca essa tradição em seu próprio título, que poderia ser traduzido figuradamente como “os boatos controlados”. Recentemente publicou uma notícia sobre a mulher de François Fillon, o candidato de centro-direita que era o favorito na campanha presidencial da França. Segundo o jornal, Penelope Fillon tinha recebido um salário alto durante muitos anos por ser “ajudante parlamentar” de seu marido. Apesar de Fillon não ter dito que a notícia era falsa –reconheceu que contratou sua esposa e afirma que isso não é ilegal–, o chamado Penelopegate conseguiu tirar Donald Trump das primeiras páginas e seguramente destruiu as possibilidade de Fillon na eleição, em benefício da Frente Nacional, o mais parecido que existe na França com o presidente norte-americano.

Montagem tuitada em fevereiro pelo líder antimuçulmanos Geert Wilders que coloca um rival político, Alexander Pechtold, em uma manifestação na qual se pede a imposição da lei islâmica na Holanda. À direita a foto real, sem manipulação.

A produção de notícias falsas, semifalsas e verdadeiras mas comprometedoras teve seu apogeu na Londres do século XVIII, quando os jornais aumentaram sua circulação. Em 1788, a cidade tinha 10 jornais diários, 8 que saíam três vezes por semana e 9 semanários, e as notícias que publicavam costumavam consistir em apenas um parágrafo. Os “homens do parágrafo” se inteiravam das fofocas nos cafés, escreviam algumas frases em um papel e o levavam aos impressores, que eram também editores e que normalmente o incluíam no primeiro buraco que tivessem disponível em alguma coluna da pedra litográfica. Alguns gazeteiros recebiam dinheiro pelos parágrafos; outros se conformavam em manipular a opinião pública a favor ou contra uma personalidade, uma obra de teatro ou um livro.

Em 1772, o reverendo Henry Bate (capelão de Lord Lyttleton) fundou o The Morning Post, um jornal que era uma sucessão de parágrafos sobre notícias distintas, quase todas falsas. Em 13 de dezembro de 1784, por exemplo, esse jornal publicou um parágrafo sobre um prostituto que prestava seus serviços a Maria Antonieta: “A rainha francesa tem afeição pelos ingleses. De fato, a maioria de seus favoritos procede desse país; mas quem mais prefere é o senhor W. É sabido que esse cavalheiro tinha sua carteira vazia quando chegou a Paris e, no entanto, agora leva uma vida cheia de elegância, bom gosto e moda. Mantem suas carruagens, seus uniformes e sua mesa sem economizar gastos e com todo o esplendor”.


segunda-feira, 22 de maio de 2017

O Uber irá cobrar "o quanto você estiver disposto a pagar por uma corrida"



O Uber mudou a forma de mostrar preços no aplicativo em algumas cidades: em vez de visualizar uma estimativa do valor da corrida, você sabe exatamente o quanto vai pagar antes de chamar o motorista. Isso tem gerado algumas polêmicas: a tarifa dinâmica agora fica escondida e, recentemente, motoristas têm reclamado que recebem menos do que os passageiros estão pagando. Agora, o Uber está oficializando sua precificação complexa.

A empresa informa à Bloomberg que está lançando um sistema de preços baseado em rotas. É uma forma de cobrar mais de quem estiver disposto a pagar mais, ainda que o tempo e a distância da corrida, bem como o trânsito durante o caminho, sejam exatamente os mesmos. O esquema já estava sendo testado desde o ano passado.

A partir desta segunda-feira (22), em 14 cidades dos Estados Unidos, a empresa vai utilizar técnicas de aprendizagem de máquina para calcular quanto um passageiro está disposto a pagar por uma viagem em um determinado horário. Um fator de influência é o destino da corrida: uma pessoa indo para casa em um bairro mais rico da cidade pode pagar mais do que outra viajando para uma região mais pobre, por exemplo.

O histórico das viagens anteriores também conta na definição do preço, como informa o Engadget. Se um usuário costuma pagar mais por uma corrida individual de UberX, enquanto outro costuma fazer uma corrida compartilhada de UberPool mesmo tendo que esperar mais para chegar ao destino, isso significa que o primeiro normalmente está disposto a pagar mais.

Além disso, com a implantação do novo sistema, os motoristas vão deixar de receber exatamente o dinheiro que o passageiro pagou menos o desconto de 20% a 30% do Uber. A diferença entre o valor pago pelo passageiro e o recebido pelo motorista será embolsada pela empresa e utilizada para investir em motoristas para atender regiões de alta demanda.

Mas, no final das contas, a gente sabe por que o Uber está investindo tanto no sistema de precificação: a empresa ainda não é lucrativa (teve prejuízo de US$ 2,8 bilhões em 2016) e perde muito dinheiro ao mesmo tempo em que os motoristas reclamam de estarem ganhando pouco. A conta não está fechando. Os investidores deverão ficar mais satisfeitos com a notícia; resta saber se os usuários também.


As mais recentes tendências de Embalagens

Resultado de imagem para tendencia embalagens

Estudo da agência PackLab lista as tendências de embalagem para 2017. Segundo Guilherme Jardim, diretor da empresa, as tendências mostram sintonia com o comportamento do consumidor global, em busca de embalagens visualmente agradáveis, com mensagens eficientes e formatos inovadores.

1) Simples, arrojado e honesto

A simplicidade dos gráficos, com foco em comunicar uma mensagem clara e honesta, é uma tendência. Como as pessoas passam cada vez menos tempo comprando nos supermercados, o design precisa ser mais funcional, com comunicação clara e focado no essencial: ajudar o consumidor a fazer uma boa escolha de compra.

2) Cores fortes e vibrantes

As marcas têm explorado cada vez mais cores fortes e vibrantes, para gerar não apenas impacto na prateleira como para segmentar produtos em categorias específicas dentro de uma mesma marca. A cor tem um efeito psicológico, ajuda o consumidor a não só identificar, mas também lembrar dos produtos favoritos. Quanto mais vibrante, mais fácil de lembrar.

3) Detalhes

Os clientes gostam de ser surpreendidos com detalhes legais e inteligentes, que os ajudam a se conectar emocionalmente com a marca, do momento da compra a suas casas. Os detalhes são mais comuns em embalagens premium, mas serão vistos cada vez mais em embalagens de produtos “comuns”.

4) Letras customizadas

A escrita à mão é uma grande tendência no design mundial, não só na embalagem. A ideia de algo artesanal que ela transmite é uma boa ferramenta para diferenciar e agregar valor.

5) Inspiração vintage

O sentimento de nostalgia guia esta tendência, que procura usar elementos que ativam memórias antigas. Ao mesmo tempo, desperta curiosidade nos novos consumidores. A estética do passado é uma tendência que veremos em 2017.

6) História, nostalgia e herança

Marcas tradicionais, com muitos anos de história, devem criar designs que remontem às suas raízes, recuperando-as e trazendo-as ao presente. Sempre com orgulho do que foi construído e do legado deixado por ela.

7) Uso de ilustrações e padrões
Ilustrações e padrões são boas ferramentas para contar uma história e criar um relacionamento emocional com os consumidores. Também são excelentes para atrair a atenção, promover os produtos na prateleira e criar conhecimento de marca.

8) Novos cortes

A apresentação de embalagens com novos cortes também será uma tendência, com diferentes formas e janelas para mostrar os produtos. A embalagem customizada é ótima para as marcas por conta da relevância em como se sentem e se parecem.

9) Abordagem eco-friendly

As embalagens inseridas no contexto de sustentabilidade continuarão como uma tendência, com as marcas se esforçando para usar materiais de fontes renováveis e/ou recicláveis, além de reduzir excessos. Elas também estimulam a reciclagem, o uso responsável de materiais e posicionam a empresa como preocupada com as questões ambientais.

Fontes: http://www.abre.org.br e Seafood Brasil

domingo, 21 de maio de 2017

Black Friday o ano todo




Conseguir comprar mais barato pela internet não é fácil. Muitas lojas anunciam descontos, que na verdade são ofertas falsas, custando a metade do dobro (prática comum na Black Friday). E depois de encontrar o melhor preço, você ainda tem que pesquisar por cupons de desconto – às vezes o produto da loja mais cara pode ser o mais em conta, depende do desconto que você descola com um bom cupom.

A boa notícia é que existe uma forma de automatizar todo esse processo, utilizando uma extensão desenvolvida pelo pessoal do Tecnoblog para Google Chrome. Ela é uma ferramenta completa, com histórico de preços e preços exclusivos que nós negociamos com as lojas para vocês.

Funciona da seguinte forma:


Testador de Cupons: Testa milhares de cupons de desconto e aplica automaticamente no carrinho de compras. São mais de 200 lojas monitoradas!


Histórico de Preços: Como eles monitoram centenas de lojas, conseguem te falar se o produto em questão está barato, ou se está custando a “metade do dobro”, prática que é comum em datas específicas do e-commerce.


 
Como funciona?

O funcionamento da extensão é 100% automatizado. Primeiro você instala ela no seu navegador, depois acessa a página do produto que você quer comprar. Nesse passo a nossa barrinha vai aparecer no topo da página, te informando se aquele produto já esteve mais barato naquela loja, ou se está com um preço bom. Para ver o gráfico com o histórico de preços é só clicar na barrinha.

Depois que você escolheu os produtos que vai comprar, é só adicionar todos ao carrinho de compras e seguir para o ckeckout (conclusão do pedido). Na última tela (antes de adicionar as informações de pagamento) o Testador de Cupons da extensão vai aparecer e testar automaticamente vários cupons de desconto no seu carrinho.

Muitas vezes as lojas criam cupons promocionais, mas eles ficam espalhados pela internet. A gente coleta esses cupons e testa automaticamente no seu carrinho de compras, para você comprar com o melhor preço.
Em quais lojas vou conseguir desconto?

Atualmente eles trabalham com cerca de 400 lojas. Como falei ali em cima, quem oferece os descontos são as lojas, a galera do Tecnoblog só coleta todos eles, negocia alguns exclusivos e disponibiliza para todos os usuários da extensão.

Entre as principais lojas estão: Submarino, Americanas, AliExpress, Adidas, Azul, Bebê Store, Casas Bahia, Centauro, DealeXtreme, Extra, Fast Shop, Gol, Hotel Urbano, Latam, Lojas Colombo, Lojas KD, Mobly, Netshoes, Nike Store, O Boticário, Ponto Frio, Ricardo Eletro, Saraiva, Tam, Walmart, etc.

Algumas ofertas surgem apenas em datas especiais, como: Black Friday, Cyber Monday, Natal, Dia das Mães, Dia dos Pais, Dia dos Namorados, Dia das Crianças, etc. De qualquer forma, utilizando a extensão do Tecnoblog, você tem a garantia de conseguir a melhor oferta.
Quanto custa?

Nada! A extensão é completamente grátis. Quem dá os descontos são as próprias lojas, eles só os organizam e aplicam automaticamente.

O que é extensão? É seguro?

Extensão é um complemento que você pode instalar no seu navegador de internet. A extensão está disponível para download direto do diretório do Google. Ou seja, existe uma garantia que é completamente seguro de usar.

É difícil de usar?

Ela funciona de forma automática. Você só precisa instalar e o Tecnoblog faz todo o trabalho duro por você. Desde avisar se o produto está com um preço bom, até aplicar os descontos no seu carrinho de compras.


Para instalar a extensão: clique aqui!

sábado, 20 de maio de 2017

Mitos e Verdades sobre "Dor de Garganta"

Prepare-se para mudar de paradigmas. Sua mãe vai pirar depois disso!


Com a chegada do inverno, há um aumento exponencial dos casos de dores de garganta. Mas será que isso tudo é culpa da estação? MITO!

Pois é, mas vai muito além dessa lenda. Confira!

1. Sorvete ou bebidas geladas agravam a dor de garganta?   Verdade!


Antes de tudo, alimentos gelados não causam a dor de garganta, apenas agravam. Quando a região da garganta está irritada, os vasos sanguíneos sofrem dilatação, eles incham, reação natural do organismo. A partir do momento que ingerimos sorvete ou bebidas geladas a temperatura da região diminui, dificultando esse processo natural, agravando a dor.

2. Fumar interfere no processo de cura? Verdade!


Se o fumante já estiver com dor de garganta e continuar jogando fumaça tóxica na região, certamente dificultará a cura. Isso porque, ao mesmo tempo em que este está tomando medicamentos para melhorar a inflamação, ele continua ingerindo uma porrada de substâncias que causam irritação.

3. Sair do quente para o frio causa dor de garganta? Mito!

– Frio, frio, frio, frio, frio, frio…

Se tua mãe falou isso, escute porque praga de mãe pega. Mas segundo reportagem da Globo News, o que pode causar dor de garganta é ficar exposto muito tempo em um ambiente frio sem agasalho, derrubando a resistência do corpo e nos deixando expostos a vírus e bactérias. Para o siteMinha Vida, o pneumologista Fernando Stugart afirma que nosso organismo não adoece por causa de diferenças de temperatura.

4. Inverno é o verdadeiro responsável? Mito!

– O Inverno está chegando…

Mas vamos com calma. O inverno em sí, a estação das roupas chiques, não está diretamente ligado a sua dor de garganta, mas indiretamente. Os verdadeiros bandidos dessa história são o frio, que derruba a nossa resistência, e a aglomeração de pessoas em ambientes fechados, que nos deixa completamente expostos a muitos e muitos vírus e bactérias.

5. As causas da dor de garganta podem ser diversas? Verdade!


As causas são variadas, pode ser alergia, inflamação, vírus, bactérias, irritações ou lesões.

6. O tratamento é único?  Mito!


Se a dor de garganta for causada por um vírus, não adianta se entupir de antibiótico, pois estes só servem para curar bactérias. Procurar um médico é a melhor coisa a se fazer, se auto-medicar pode agravar (e muito) o seu quadro.

7. É possível prevenir a dor de garganta?  Mito! 


Mas com pequenos cuidados no dia-a-dia você pode aumentar sua imunidade, diminuindo as chances de contrair doenças por vírus e bactérias, como: não fumar, evitar aglomerações, se proteger do frio e lavar bem as mãos.

8. A dor de garganta é contagiosa?  Mito!


A dor de garganta é consequência de algum problema no seu organismo, assim como uma dor de cabeça ou muscular. O que pode ser transmitido é a causa, a doença, se for vírus ou bactéria.

9. Gargarejo com água morna, sal e vinagre alivia?  Mito!


A princípio, o gargarejo até auxilia aliviando a dor, mas o vinagre e o sal são substancia que podem irritar a mucosa e com isso agravam o problema. Especialistas indicam que seja feito um tratamento com medicamentos próprios ou menos agressivos.

10. Beber água ajuda no tratamento da dor?  Verdade!


A hidratação é extremamente essencial para a saúde da garganta (e do corpo!). Mantê-la seca piora a dor significativamente quando está com infecção. Evite água gelada.

11. Própolis ajuda a aliviar a irritação?  Mito!


Essa é polêmica! “O problema é que o própolis requer álcool para se manter conservado. E álcool aumenta a irritação na garganta” alertou a alergista e otorrinolaringologista Mônica Menon-Miyake, do Hospital Sírio Libanês aoIG. Outros especialistas simplesmente não indicam, afirmando que não passa de crendice popular.

12. Mel funciona como um poderoso anti-inflamatório?  Verdade!


Ele carrega uma poderosa enzima chamada glicose-oxidase, responsável por um potente antisséptico natural. Por conta disso o mel inibe inflamações e reconstrói tecidos na garganta. Além de ser uma delícia! Mas não exagere, pode irritar o estômago e causar refluxo.

13. Limão com Mel é tiro e queda contra as dores de garganta? Mito!


Já aprendemos que mel é uma poderosa arma contra inflamação na garganta, mas tudo isso pode ir por água abaixo se colocar limão no meio. Da mesma forma que exagerar no mel, ingerir limão pode causar refluxo, responsável por aumentar a irritação, “o risco pode ainda ser maior porque limão é uma fruta cítrica, muito ácida”, conclui a Dr. Mônica Menon-Miyake. A imagem acima é meramente ilustrativa.

Atenção: Evite tomar medicamentos sem prescrição médica e fique atento, uma dor de garganta que dura mais de uma semana pode evoluir para problemas sérios, nesse caso consulte um médico.

Fonte: SOS Solteiros

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Finalmente: Ferramenta gratuita que recupera arquivos sequestrados pelo WannaCry

Ainda há esperança: usuários afetados pelo WannaCry poderão recuperar seus arquivos sem pagar o resgate de US$ 300 a 600 em bitcoins. O pesquisador de segurança Adrien Guinet estudou a forma como o ransomware gera a chave de criptografia e criou uma ferramenta para desbloquear os dados. Ela foi aprimorada para funcionar inclusive em versões mais recentes do Windows, como o Windows 7.

O WannaCry se baseia em dois números primos para gerar as chaves de criptografia. Depois que os arquivos são sequestrados, a chave privada é excluída para evitar que o próprio usuário consiga descriptografar seus dados. No entanto, Guinet descobriu que o WannaCry não limpa os números primos da RAM. A ferramenta, então, consegue recuperá-los e fazer os cálculos para voltar com os arquivos originais.

Outro pesquisador de segurança, chamado Benjamin Delpy, criou nesta sexta-feira (19) o Wanakiwi, que é baseado na ferramenta de Guinet, mas simplifica o processo. Ele encontra os números primos automaticamente, descriptografa os dados e cria arquivos compatíveis com o ransomware, que também evitam que o WannaCry entre em atividade novamente na máquina.

Este GIF mostra o Wanakiwi descriptografando arquivos em um computador com Windows 7:



E com Windows XP:



Como os números primos utilizados na criptografia ficam armazenados temporariamente na RAM, é importante que o computador não seja reiniciado depois de infectado, caso contrário, o Wanakiwi não funciona. Ainda não há um método conhecido para descriptografar arquivos em máquinas reinicializadas sem pagar o resgate exigido pelos criminosos.

Você pode baixar o Wanakiwi gratuitamente no GitHub. A ferramenta funciona por meio do Prompt de comando e já foi testada com sucesso no Windows XP, Windows 7, Windows Vista, Windows Server 2003 e Windows Server 2008.